Ferramentas Auxiliares (Casa do Senhor) | Rádio Web Online | Dicionário Bíblico Online

Eis Que Estou À Porta e Bato

 

EIS QUE ESTOU À PORTA E BATO

 

"Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo." (Apocalipse 3:20)

HOMEM CORRUPTÍVEL E A VIDA DA ALMA

"E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém." (Romanos 1:23-25)

"Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem." (Ezequiel 28:18)

Muitas vezes nos perguntamos: porque Deus não salva o Diabo ao invés de condená-lo?  Se Deus é o todo poderoso, porque ele não salva Satanás?

COMO FOI OPERADA A SALVAÇÃO DO HOMEM?

Até podemos pensar que o Diabo não quer ser salvo, que ele é rebelde mesmo e não adiantaria Deus lhe oferecer a salvação. Tudo bem, é uma hipótese, poderíamos até pensar isso, mas não é o essencial. 

O Diabo é um anjo, que caiu e perdeu a glória de Deus.

Não há maneira de regenerá-lo, pois o fogo de Deus o consumiu de tal maneira que a sua condição original se perdeu. Depois que o fogo consome algo, nunca mais se reconstitui o que era no inicio.

Se você colocar fogo numa folha de papel, aquela folha nunca mais voltará a ser papel, ela será apenas cinzas.

Foi o que aconteceu com o ele. Você já viu cinzas voltar a ser papel? Pois é, esta é a situação do Diabo.

"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra." (Gênesis 1:26)

O HOMEM É UM SER CRIADO À IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS

Com três partes distintas: CORPO, ALMA e ESPÍRITO. A imagem se refere a parte interior do homem, que é seu espírito e sua alma. Já a semelhança refere-se a aparência exterior do homem, seu corpo.

Originalmente, Deus não habitava dentro do homem. Quando Adão estava no Edem, ele era santo e justo, não porque Deus morava em seu espirito, mas porque fora criado à imagem e semelhança de Deus. Quando decidiu aceitar a proposta da serpente, ele deu as costas para o seu espírito e passou a viver pela vida da alma, contaminada pelo veneno. 

A VIDA DA ALMA É COMPLETAMENTE DIFERENTE DA VIDA NO ESPÍRITO

A primeira e crucial diferença é a duração dela, enquanto a vida no espírito é eterna, a vida da alma é limitada.  Quando o homem vivia no espírito, era eterno. Após passar a viver na alma, seus anos de vida passaram a ser de no máximo cento e vinte anos. Tudo que é almático tem limites e é imperfeito.

Veja a fé que Jesus tinha que maravilhosa. Ele dizia aos mortos para levantar e eles levantavam. Falou para a figueira secar e ela secou. Você já viu fé como essa? Esta é a fé que vem do espirito.

Agora a fé da alma é aquela que Tomé tinha, que precisava ver para crer.

Romanos 8:29 Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos;

"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra." (Efésios 5:26)

Deus enviou seu filho para mudar este quadro na nossa vida, ou seja, fazer o homem voltar a viver no espírito e andar por ele, não mais andar pela vida da alma.

Paulo disse aos Romanos, no capitulo primeiro, que o homem mudou a gloria de Deus em semelhança de imagem de homem corruptível

QUEM É ESTE HOMEM CORRUPTÍVEL?

Nós. Porque ao invés de obedecermos a Deus, andando no espirito, passamos a andar guiados por aquilo que se corrompe, que é a nossa alma. Mas a partir do momento que aceitamos o Senhor Jesus na nossa vida, uma obra se iniciou. Desde então passamos a ser conformados à imagem de Cristo, ou seja, a forma da nossa imagem, nossa parte interior, começou a sofrer uma mudança. Ela não será mais conformada a serpente, nem a aves, quadrupedes e repteis, porém ela será conformada a Cristo. Se amamos com a alma, passaremos a amar com o espirito. Veja a diferença. Se nossos pensamentos vem da alma, agora virão do espirito. A alma será purificada, levada de todo o veneno que entrou nela.

Gênesis 1:20 E disse Deus: Produzam as águas cardumes de seres viventes; e voem as aves acima da terra no firmamento do céu.

Gênesis 1:24 E disse Deus: Produza a terra seres viventes segundo as suas espécies: animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi.

Gênesis 1:26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança …
O livro de Gênesis nos guarda muitas surpresas. Se você reparar nestes versículos, irá perceber que Deus fez os animais numa seqüência do menos desenvolvido para o mais desenvolvido, do menos complexo para o mais complexo. Por fim criou o homem. É assim que funciona a transformação que ocorre na nossa alma.

Quando chegamos na igreja, somos apenas um peixe. Com o passar do tempo, me torno uma ave. Conforme vou crescendo em vida, me torno um animal mais desenvolvido e vou seguindo até ser como Cristo. Nossa alma precisa estar cheia de Cristo, para não mais agirmos como animais e sim como homens criados à imagem e semelhança de Deus.

Rm 1:23 - Mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível.
Romanos 1:23-25 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si; pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém.

 

A Bíblia nos revela que em todo o universo só existem duas forças agindo, a divina, representada no livro de Gênesis pela Arvore da Vida, e a satânica, representada no mesmo livro pela Arvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Em todos os sessenta e seis livros bíblicos, encontramos, de alguma forma, uma representação destas duas. Por exemplo, no livro de Apocalipse encontramos duas cidades: a grande Babilônia e a Nova Jerusalém. Babilônia é o fruto amadurecido da Arvore do Bem e do Mal, já a Nova Jerusalém é o fruto amadurecido da Arvore da Vida.

O homem pode ser guiado pela sabedoria oriunda da Arvore do Bem e do Mal ou pela sabedoria que provém da Arvore da Vida, não há uma terceira opção. Ou somos Babilônia ou somos Nova Jerusalém. O que vai definir nossa condição é a arvore que iremos escolher para ser nossa fonte de alimento. Ou se come de uma ou de outra.

Gênesis 3:14 Então o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás tu dentre todos os animais domésticos, e dentre todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.

Quando Deus julgou a serpente, Ele a condenou a rastejar sobre o pó da terra todos os dias da sua vida. Esta é a natureza terrena, em sua representação. Tudo que é proveniente da Arvore do Conhecimento do Bem e do Mal é terreno. Como sabemos que estamos comendo da arvore terrena?

Certa vez Jesus disse: “pelos seus frutos o conhecereis”. Basta olharmos para as nossas atitudes e ações, e veremos um retrato de uma das duas arvores. Definitivamente, somos o que comemos. Isso vale para nosso corpo, com certeza, mas a mesma analogia vale para a nossa alma.

Olhe para a escala de valores da sua vida, aquilo que lhe é mais importante e poderás ter uma noção disto que estou falando. O que lhe é mais importante? Pegue o dia de hoje como exemplo, quanto tempo você dedicou as suas coisas pessoais e quanto tempo dedicou a buscar a Deus? Fazendo perguntas deste tipo, poderás saber qual arvore você esta comendo. Da arvore que você comer virá a sabedoria que irá guiar a sua vida.

João 1:1-4 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.  Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens;

Mateus 23:3 Portanto, tudo o que vos disserem, isso fazei e observai; mas não façais conforme as suas obras; porque dizem e não praticam.

Buscar a Deus não é apenas ler a Bíblia e meditar nela. Posso ler a Bíblia muitas horas por dia e mesmo assim estar comendo apenas conhecimento da Bíblia. E o conhecimento da Bíblia pode muito bem se manifestar em mim em forma de bem e mal, o que também não serve. Certa vez Paulo escreveu que a letra mata.

O que é letra? É apenas conhecimento bíblico, que fica guardado na mente mas nunca se manifesta. A vida está no verbo. Alem de buscar o verbo, precisamos extrair a vida que está nele. De nada adianta o verbo estar na nossa mente se a vida não flui dele. Isso também é terreno.

Pegue como exemplo os fariseus da época de Jesus. Eles conheciam a palavra de Deus mas não cumpriam. Isso chegou ao ponto de Jesus dizer para as pessoas fazerem o que eles diziam mas não fazerem o que eles faziam.

Tiago 3:14-15 Mas, se tendes amargo ciúme e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica.

A natureza terrena, representada pela serpente que come terra, é diabólica. Ela é diabólica porque a origem desta natureza vem de Satanás, o Diabo. Muitos se perguntam porque Deus permitiu isso acontecer. Porque no Edem havia a Arvore do Conhecimento do Bem e do Mal e não apenas a Arvore da Vida. O problema na verdade não é a presença ou não dela lá, mas sim o porque do homem se deixar corromper para comer do seu fruto.

Para existir uma mentira, obrigatoriamente necessita existir uma verdade. Deus é a verdade, que se manifesta através dos seus princípios. Se sempre obedecermos seus princípios, sempre estaremos na verdade e nunca morreremos. Mas se conhecermos os seus princípios e os desobedecemos, então se manifesta a mentira e morremos.

Lúcifer conhecia a Deus e seus princípios, e era desobediente.. Pronto, já era o suficiente para que a Arvore do Conhecimento do Bem e do Mal estivesse a disposição do homem. Por toda a eternidade a Arvore do Conhecimento do Bem e do Mal, teoricamente, estará a disposição do homem, porém, como todos seremos conformados à imagem de Cristo Jesus, que é incorruptível, isso faz com que nunca mais se coma do fruto dela, que é como se não existisse.

Certa vez Jesus disse a uma figueira: “nunca mais se coma fruto de ti”. Quando Jesus ressuscitou, era como se Deus dissesse: “nunca mais se coma fruto da Arvore do Conhecimento do Bem e do Mal”.

Deus é incorruptível, por isso estamos em paz e vivos por toda a eternidade.

Colossenses 3:2 Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra;

Quando Paulo diz aos romanos que o homem mudou a gloria do Deus incorruptível pela de homem incorruptível e de animais, ele estava dizendo exatamente isto, que o homem deixou de pensar nas coisas lá do alto para pensar nas coisas que são da terra. O homem deixou de servir a Deus para servir aquele que rasteja sobre a terra. Para ser ainda mais especifico: o homem deixou de servir a Deus para servir a Satanás 

O homem deixou de lado a fé, que é do alto para viver pelo conhecimento terreno. A subsistência da nossa vida, tanto no aspecto natural como emocional, só se mantém quando estou na verdade.

A mentira faz tudo desmoronar. O homem coloca muitas mascaras para cobrir sua miséria. A verdadeira felicidade e paz só chega quando nossa casa está construída na rocha, que é Cristo. Fora disso, o que se vê é miséria e destruição

Romanos 1:23-25 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si; pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém.

A Bíblia é um livro que contem muitas figuras, tipos e símbolos. Para entender seus ensinamentos, é necessário buscar dentro dela os seus significados, comparando os textos, cruzando os dados, para então compreende-los. Pinçar versículos isoladamente e interpreta-los é um dos maiores riscos que podemos cometer, pois faltarão peças que dêem a visão completa daquela doutrina. Um dos símbolos utilizados por Deus em seus livros é a figura dos animais.

Em toda a Bíblia encontramos animais, de Gênesis a Apocalipse eles participam das historias, tendo grande parte nas revelações da Economia de Deus. Os homens que detém a verdade em injustiça, os que não vivem pela fé, mudaram a glória de Deus em imagem de homens corruptíveis e de animais. Ao invés de adorarem ao único Deus verdadeiro, preferiram adorar mais a criatura do que o Criador.

Quando lemos este texto, imediatamente lembramos de muitas religiões, onde animais são adorados: a vaca, o cachorro, o gato, o morcego, enfim, muitos animais são considerados deuses. Também podemos relacionar homens corruptíveis com uma serie de pessoas que são adoradas como verdadeiros deuses. Esta comparação serve, sem duvida, mas não pode ficar somente neste aspecto. Quando a Bíblia se refere aos animais, ela está se referindo principalmente a homens que adotam praticas influenciados por uma natureza semelhante a dos animais.

O que Satanás injetou no coração do homem foram novos princípios de vida, e que princípios são estes? Uma natureza animal, composta de espíritos caídos, que são os demônios

Cada demônio é um principio.

Porque a natureza animal tem inveja? Porque há um demônio, um espirito caído em nós, que produz a inveja. O espirito é o principio.  O mesmo vale para a natureza divina. O que leva um homem que originalmente não perdoava ninguém, após receber o Espirito de Deus, passar a perdoar a todos incondicionalmente? O principio do perdão, que é o Espirito de Deus. Qual a nossa interferência neste processo? Temos o livre-arbítrio para permitir ou não a manifestação destes princípios Simbolicamente, o homem permitiu que Satanás lhe transformasse num animal.

O homem, originalmente foi criado à imagem e semelhança de Deus, uma natureza divina, incorruptível, mas acabou se tornando homem corruptível, comparado a animais.

Deuteronômio 25:4 Não atarás a boca ao boi quando estiver debulhando.
1 Corintios 9:9-10 Pois na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca do boi quando debulha.

Porventura está Deus cuidando dos bois? Ou não o diz certamente por nós? Com efeito, é por amor de nós que está escrito; porque o que lavra deve debulhar com esperança de participar do fruto.

A Bíblia tem uma visão e um objetivo bem claro, que é aproximar o homem de Deus. Tudo o que lemos tem por objetivo nos levar ao arrependimento. Se você medita nas palavras de Deus e não se arrepende dos seus pecados, algo esta errado. Se você ouve pregações e não enxerga seus pecados, algo esta muito errado, e além disso, você esta parado no crescimento de vida. Isso é muito grave.

Quando lemos este versículo de Deuteronômio, somos tentados a achar que Deus esta se referindo aos bois. Posso logo pensar que, se não tenho bois, logo este versículo não é para mim. Mas Paulo, um profundo conhecedor de Deus, sabia que o que foi escrito é para nos levar ao arrependimento, e logo tratou de dar aos corintios a real revelação daquela palavra. Deus não tratava de bois, mas de homens. Ele estava dizendo que aquele que trabalha merece receber o fruto do seu trabalho.

Paulo trabalhou pelos corintios, semeou coisas espirituais, e poderia receber o sustento material. Veja que Deus usou um animal para fazer esta ilustração Neste caso, ao invés de ministrar sobre a natureza pecaminosa, foi usado para ilustrar o funcionamento da obra de Deus, mas veja que ele está lá. Deus não está preocupado com animais, mas sim com homens.

Números 21:8 Então disse o Senhor a Moisés: Faze uma serpente de bronze, e põe-na sobre uma haste; e será que todo mordido que olhar para ela viverá.

João 3:14 E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;

Romanos 8:3 Porquanto o que era impossível à lei, visto que se achava fraca pela carne, Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança da carne do pecado, e por causa do pecado, na carne condenou o pecado.

Veja como Deus revelou seus mistérios utilizando três estágios: primeiro falou para Moisés, em seguida se revelou na figura de homem e por ultimo confirmou através das cartas. Falta aqui a finalização de todas estas coisas, que está no livro de Apocalipse. Moisés recebeu do Senhor a ordem para fazer uma serpente de bronze e coloca-la sobre uma haste, e todo mordido que olhar para ela viveria. Veja mais uma vez aqui o animal, usado como figura para nos abrir o entendimento. A serpente pendurada na haste é o homem pecador. Porque ele foi parar là?

Justamente porque foi mordido pela serpente. Todos os homens foram mordidos. Jesus, que não era pecador, mas tinha apenas a semelhança da carne pecaminosa, se colocou no nosso lugar para ser crucificado. Somente ele poderia passar pela cruz e permanecer vivo. Se nós fossemos crucificados no lugar de Jesus, morreríamos e a lei de Deus se cumpriria, porem não ressuscitarmos, conseqüentemente o plano de Deus de ter a sua esposa estaria fracassado. 

Como entendemos todas estas coisas? Pela combinação de vários textos da Bíblia, auxiliada pelos símbolos e figuras que Deus usou. Onde você encontrar serpente na Bíblia, pare por um momento e reflita onde mais Deus usou a serpente para explicar algo. Faça suas anotações, desenhos, cruze as informações, com o passar dos tempos este quebra-cabeça irá se aprontando, porem não esqueça que toas estas coisas não tem valor algum se não gerar arrependimento no seu coração, pois a letra mata e o espirito vivifica.

Estudo de Romanos - Rm 1:22-23 - E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.

Romanos 1:22-23 Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.

Trocar a velha natureza pela nova exige do homem uma atitude de cooperação com Deus, de negar-se, de usar seu livre-arbítrio a favor da obra de Cristo na nossa vida, de perder muitas coisas que nos prejudicam (embora as amamos). É como o processo de troca da carcaça do camaleão: lento e doloroso, poucos estão dispostos a passar este sofrimento para ganhar as vestes de justiça.

É comum as pessoas passarem a vida toda na igreja com os mesmos problemas, sem avançar na maturidade espiritual, levando uma vida religiosa, de comparecer a reuniões, até fazendo obras, participando das atividades, mas desfocadas do objetivo principal: buscar a santificação. 

Estamos na igreja por um único e bem especifico objetivo:

Receber a transformação, deixar de ser o velho homem para ser o novo, idealizado por Deus.

Em outras palavras: nos tornarmos mansos e humildes. O que é uma pessoa mansa? É aquela que renunciou todos os seus direitos, passando a viver única e exclusivamente dependendo de Deus. Uma pessoa mansa não reclama, não murmura, não se queixa da sua vida nem dos outros. Ela esta feliz com tudo o que tem e ama a todos, incondicionalmente.

E o que é uma pessoa humilde?

É aquela que reconhece o Senhor em todos os seus caminhos, nas dores e nas consolações, e alem disso, considera a todos superiores a si mesmo. Somente uma pessoa mansa e humilde tem paz no seu coração, antes disso, é impossível Esta é a proposta que Deus tem para as nossas vidas, mas para chegar lá precisamos de coragem, será que estamos dispostos a encarar estas batalhas?

Se toparmos e perseverarmos, certamente Deus nos dará a vitoria, pois Jesus disse para termos bom animo, pois ele já venceu o mundo.

1 Corintios 3:1 E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo. Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis;

1 Pedro 1:22 Já que tendes purificado as vossas almas na obediência à verdade, que leva ao amor fraternal não fingido, de coração amai-vos ardentemente uns aos outros,

Apesar de muitas igrejas estarem lotadas no mundo todo, poucos são os que procuram este caminho. Se observarmos as pregações, veremos que as mensagens liberadas procuram, na sua essência, agradar aos ouvidos, de maneira que os irmãos permaneçam na congregação. É como uma empresa que não quer perder clientes. O que gostamos de ouvir são as promessas do evangelho da graça, de que Deus nos dará muitas bençãos, fará tudo por nós, sem a renovação da nossa mente, sem a troca das vestes. As pregações giram em torno do tema “finanças-saúde-livramentos”. É só ligarmos a televisão em qualquer programa evangélico: vitoria não é sinonimo de mansidão e humildade, porem vitoria virou sinonimo de dinheiro no bolso, proteção e curas e livramentos. Resumindo, é tudo aquilo que Deus irá fazer por nós, os fieis, aqueles que dão o dizimo e as ofertas, que vão na igreja, que não bebem e não fumam, entre outras superficialidades. Satanás roubou a cruz da igreja, definitivamente.

Ora, o evangelho da graça é para quem toma leite na igreja, os recém chegados, os novinhos, os imaturos. A partir do momento que o irmão já está com um certo entendimento das coisas celestiais, ele não precisa mais de leite, mas sim de alimento sólido, que é o evangelho do Reino. A partir deste momento, Deus quer governa-lo, pois indiretamente Deus quer governar a terra através dele. Se Deus quer fazer algo que é contrario a nossa vontade, então teremos que nos negar, obedecendo a Deus e fazendo o que Ele quer, e não o que nós queremos.

Podemos dar um exemplo: em Mateus, capitulo sete, está escrito: não julgueis para não serdes julgados. É algo que Deus está me pedindo. Mas dentro de mim tem uma vontade muito grande de julgar os outros. O que faço? Se eu julgar, estarei desobedecendo e Deus não estará no meu governo, porem se eu não julgo, coopero para que o Reino de Deus chegue a terra e ao mesmo tempo vou sendo transformado, recebendo a santificação, pois ela vem através da obediência a verdade.

2 Corintios 7:10 Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte.

Se sou alguém que costuma julgar os outros todos os dias, usando todas as minhas forcas e energias, quando receber a noticia para parar de julgar, irei ficar muito triste, sem duvida.

Julgar nos dá um prazer muito grande, nos deliciamos em emitir opiniões e julgamentos sobre os outros. Que tristeza dá na nossa alma saber que Jesus disse para não julgar. E agora, o que fazer?

O julgamento é uma erva daninha no nosso coração, a partir dele brota a ira, a raiva, o ódio, as separações, as inimizades. É começarmos a julgar alguem e em breve já estaremos lhe odiando, trazendo perturbação no nosso coração. Jesus quer nos dar a paz, porem não como o mundo a dá, mas sim do seu modo. Veja que diferente, Jesus então diz: você quer paz? Pare de julgar os outros. 

É realmente um método totalmente diferente de como o mundo nos ensina, iremos ficar tristes, mas esta tristeza irá operar algo maravilhoso, a salvação objetiva da nossa alma.  A vista destes fatos, temos agora duas alternativas: reconhecer nossos erros e nos arrepender, ou então nos voltarmos para uma vida religiosa, aparentemente (e enganosamente) muito mais confortável, adorando homens, animais, aves, quadrupedes, repteis. Estes, certamente, não irão nos pregar arrependimento.

Rm 1:22 - Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos.
Romanos 1:21-22 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos,

Isaías 55:8 Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.

Rejeitar algo oriundo de Deus é como dizer que a sabedoria humana é mais elevada do que a sabedoria divina. Receber a luz de Deus e não andar nela, é pensar que as nossas escolhas para a nossa vida são melhores e mais benéficas do que as escolhas de Deus para as nossas vidas. Dizer-se sábio não significa necessariamente que temos esta imagem formada de si mesmo, mas apenas o fato de rejeitar o conhecimento divino, já o caracteriza como tal. Quando rejeitamos Deus, é porque nos achamos sábios. 

Mas o que leva um homem, refiro-me ao ser humano, a rejeitar Deus? Parece uma grande loucura. Lembre que estas palavras do livro de Romanos se referem aqueles que receberam o conhecimento da pessoa de Deus, dos que detém a verdade, porem em injustiça (Rom 1:18).

Não estamos falando de ignorantes, que nunca receberam a luz divina. Não estamos falando também especificamente de cristãos, mas sim genericamente, pois muitos detém a verdade em injustiça, tanto cristãos como gentios.

Lucas 6:43-44 Porque não há árvore boa que dê mau fruto nem tampouco árvore má que dê bom fruto. Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois dos espinheiros não se colhem figos, nem dos abrolhos se vindimam uvas.

Um dos motivos que levam o homem a rejeitar Deus é a forma como o Senhor atua. Ele não age como os homens agem, ele não pensa como os homens pensam. Se você observar a vida de

Abraão, verá que toda vez que Deus se dirigiu a ele, lhe pediu para que deixasse algo para trás. Primeiro foi sua terra, depois sua família, depois seu servo, depois sua serva e por ultimo seus filhos. De todas estas coisas, seu filho Isaque permaneceu. Quem está disposto a perder tanto? Deus não obrigou Abraão a deixa-las, tanto que seu sobrinho Ló permaneceu com ele por um bom tempo – lhe causando muitos problemas - porem Abraão creu que se Deus pediu para deixar todas estas coisas, é porque não lhe serviam, e com muitas lutas foi vencendo cada etapa da sua vida. O apostolo Paulo passou pela mesma situação, se lermos a carta aos

Filipenses, capitulo três, veremos quantas coisas Paulo deixou para trás Não é possível mesclar nossa natureza antiga com a nova. Precisamos perder a velha para que a nova tenha seu espaço. Uma árvore não pode dar fruto bom e ruim ao mesmo tempo. Ou dá a árvore fruto bom ou ruim. Para darmos fruto bom, a árvore, nós, precisa ter a natureza boa.

João 5:17 Mas Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.
O processo de substituição da natureza antiga ocorre todos os dias, quando Deus nos ministra a sua palavra, ou seja, quando ingerimos o pão da vida. Se somos irados, Deus irá ministrar a paz e nos dar suporte no momento que a ira se levantar. Se somos muito sensíveis, qualquer ofensa nos machuca, Deus irá ministrar o perdão e nos dar suporte no momento da ofensa.

Precisamos cooperar com Deus para que Ele tenha liberdade para trocar a nossa natureza. Nossa alma precisa deste processo. Com certeza iremos perder a ira, a justiça própria, nossa auto-defesa, mas iremos ganhar algo muito melhor, a natureza divina, que tudo suporta. Jesus disse que venceu o mundo, ou seja, ele já venceu a ira, a sensibilidade exagerada e todas as ferramentas de Satanás. Quantos relacionamentos foram quebrados pela ira ou pela super-sensibilidade?

A Igreja não serve para outra coisa nem tem outro proposito do que este, curar os corações, trazer a natureza divina ao homem, para que possa viver em paz. Enquanto o homem não descansar, Deus não descansa.  Porque Deus descansou no sétimo dia? Porque o homem estava descansando. Jesus quando veio a terra disse que seu Pai, Deus, estava trabalhando, ou seja, mudou a situação. Hoje o homem descansa? Você esta com seu coração em paz, descansado?

Se a resposta é negativa, então Deus ainda trabalha. Não podemos desprezar esta grande oportunidade que Deus está nos dando hoje.

João 12:3-5 Então Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, de grande preço, ungiu os pés de Jesus, e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do bálsamo. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de trair disse:  Por que não se vendeu este bálsamo por trezentos denários e não se deu aos pobres?

Não sabemos a forma como Deus irá fazer esta obra em nosso coração, pois só ele conhece o coração de cada pessoa. O que sabemos é que quando uma pessoa está transformada, suas atitudes mudam completamente e muitas vezes vai na contramão da lógica. Isso não significa que estas atitudes escandalizem as pessoas negativamente a ponto de espanta-las da Igreja, pelo contrário, suas atitudes chocam as pessoas positivamente de forma a atrai-las para a Igreja.

O que se manifesta numa pessoa transformada é o amor, a paciência, a mansidão, todos os atributos divinos. Maria tinha uma profunda gratidão por Jesus, ela estava recebendo esta transformação no sue coração. Certo dia ela resolveu derramar seu perfume, que na época valia muito dinheiro, aos pés de Jesus. 

Porque ela fez isso? Por amor, simplesmente. O que ela recebeu em troca? Naturalmente nada. Mas foi o suficiente para provocar os sentimentos de Judas, que com seu coração comandado pela natureza antiga, não suportou ver tamanha manifestação de amor a sua frente. Como todo bom homem, educado e altruísta, é claro que ele mascarou os seus sentimentos utilizando-se de uma boa causa, questionando porque não se dera aquele valor aos pobres. Ora, seria

Judas alguem preocupado com os pobres?

É claro que não, mas este exemplo serve bem para marcarmos a diferença da sabedoria humana da sabedoria divina. Na cabeça de Judas, a sabedoria humana, não foi possível entender o amor legitimo. Mas para Maria, a sabedoria divina, o valor do perfume não importava, o que ela queria é demonstrar sua gratidão a Jesus por tudo o que ele havia feito por ela. Quando um homem está transformado, as coisas naturais não importam mais, ele sabe que Deus proverá o suficiente para sua vida natural. Devemos tomar a nossa decisão pelo Senhor para não nos tornarmos estultos, vivendo em nossa própria sabedoria.

Rm 1:21 - Porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.

Romanos 1:21 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.

Êxodo 3:2 E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça. Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia;

Êxodo 34:29 Quando Moisés desceu do monte Sinai, trazendo nas mãos as duas tábuas do testemunho, sim, quando desceu do monte, Moisés não sabia que a pele do seu rosto resplandecia, por haver Deus falado com ele.

Conhecer Deus e não o glorificar como tal, é motivo de muita tristeza para o próprio Deus – que se revelou – e também para todos aqueles que conhecendo a Deus, o glorificaram. Um homem que conhece a Deus profundamente sente muita tristeza ao ver um outro desprezando o Criador. 

O conhecimento de Deus não é algo que se adquire da noite para o dia, mas é um processo de experienciar diariamente este contato, a qual a soma destas experiencias vão aumentando a luz e a comunhão com o Criador.  A luz começa fraquinha, ela não é forte, mas já é suficiente para nos inclinar a avançar.

Podemos ver o exemplo de Moisés, a qual o primeiro contato direto que teve com Deus foi vê-lo no fogo da sarça ardente. Depois de um certo tempo, Deus não se revelou mais na sarça, mas sobre o monte, com mais luz, de modo que o rosto de Moisés resplandecia. Se Moisés tivesse recusado a proposta de Deus na sarça, certamente não o veria com mais luz no monte.

Estamos na mesma situação hoje, Deus começa falando a nós na sarça, ou seja, com luz fraquinha, se toparmos sua proposta e crermos nas suas palavras, chegaremos a experiencia do monte, se não toparmos, a luz da sarça se apagará e talvez não o vejamos mais.
Jó 42:5 Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te vêem os meus olhos.

João 12:40-41 Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos e entendam com o coração, e se convertam, e eu os cure. Estas coisas disse Isaías, porque viu a sua glória, e dele falou.

Quando um homem vê Deus - não apenas o ouve, mas o vê - ele deseja que os outros também o vejam. Deus criou o homem para viver em comunidade e em comunhão em torno da Sua palavra. A comunhão dos homens só existe em torno do que Deus definiu para os homens.

Chegará ainda o dia que todos os homens serão transformados por Deus e viverão sob os mesmos princípios de vida, então neste dia estará estabelecida a comunhão. Isaías viu a gloria de Deus e se ele viu, significa que ele teve experiencias de vida com Deus. Não foram apenas informações, conhecimento de coisas escritas, ou apenas de ouvir falar, mas ele viveu com Deus algo que lhe trouxe uma experiencia, uma ação de Deus na sua vida. Durante toda a historia da humanidade, poucos foram os homens que viram Deus. Isaías, após conhecer a Deus e vê-lo, disse que os corações estavam endurecidos, que os olhos estavam cegados. Ele falou de Deus, pregou as experiencias, falou do que conhecia, mas ninguém creu nas suas palavras, pois os corações estavam endurecidos.

Quando o coração é duro, ele já determinou o estilo de vida que quer levar. Mesmo que o próprio Deus lhe mostre sua luz, ele não está disposto a mudar. Hoje este problema é muito maior entre os cristãos do que entre os incrédulos É muito mais fácil um incrédulo passar a crer na luz do que um cristão admitir que precisa mudar e avançar no conhecimento de Deus. As igrejas estão cheias de homens orgulhosos, que usam a Bíblia para se auto-promover. O nome de Deus é blasfemado entre os gentios pela mau testemunho dos cristãos, que não são humildes nem mansos, mas desejam obter benefícios de Deus para as suas vidas. Querem servir-se de Deus mas não querem servi-lo.

Pregam que Deus é o seu juiz, mas querem defender-se. Pregam que Deus é a sua bandeira, mas são as estrelas. Pregam que Deus é o sustentador, mas intimidam as pessoas a darem dinheiro. Pregam a humildade, mas exigem bençãos de Deus.

João 12:43 porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.
A visão de um homem que não viu Deus é curta, pois pensa como homem, com os olhos do homem e com a mente do homem. Mas quando um homem vê Deus, ele amplia a sua percepção de tempo, investindo seus recursos naquilo que é eterno e não mais apenas no que é temporário. Para quem conhece a Deus, o Reino dos Céus já começou, e toda a sua energia passa a ser dedicada no sentido de desfrutar daquilo que Deus tem para a sua vida. Se antes, a grande preocupação era a subsistência natural, agora esta prioridade não é mais a primeira na sua escala de valores, mas desceu alguns degraus. A primeira passa a ser a busca da comunhão com Deus, o desfrute das suas riquezas, da sua paz, do seu amor, das suas consolações, dos seus sentimentos, dos seus pensamentos.

Quando um homem despreza a luz de Deus, ele está desprezando uma semente e tudo o que esta semente pode produzir. Dentro de uma semente há um potencial enorme, ali dentro pode estar uma floresta. É uma questa de escolha.

Rm 1:21 - Nas suas especulações se desvaneceram.
Romanos 1:21 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.

Quando a serpente, figuradamente, injetou seu veneno no homem, ela depositou no nosso coração uma vida alternativa àquela que Deus nos havia oferecido. Tínhamos paz, descanso, éramos plenamente supridos, nada nos faltava. Olhamos para o mundo hoje e não encontramos paz nos corações. Podemos até encontrar paz, no sentido de não haver violência nem agressão, mas nas almas não há paz, não há descanso. Foi isto que o veneno da serpente gerou, uma imensa carência nos corações.

O homem é carente porque quando nos referimos ao veneno, na verdade nos referimos a milhares de demônios, seres espirituais malignos, que entraram na nossa alma e produzem a carência. Eles querem seu supridos, nós lhe damos a comida. Esta carência não tem cura, ela deve ser eliminada.

Demônios não tem salvação, eles não podem ser curados. Nossa única solução é eliminar os carentes da nossa alma e só quem pode faze-lo é Deus.

Romanos 7:19 Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico.
Esta vida de suprir os desejos dos demônios, chama-se vida da alma. Quem produz a inveja, o ódio, a amargura, a vingança, o adultério, a traição? Os demônios, a vida da alma, com a permissão do homem. A vida da alma não é apenas o mal, mas também é o bem. O bem está na nossa mente, desejamos fazer o bem, porem o efetuá-lo não podemos, pois na nossa carne habita o mal. Entramos num conflito interno entre o bem e o mal, raciocinando e se perdendo nestas especulações.

Na nossa mente temos bem certo o que devemos fazer, porém quando a carne fala, ela predomina. O mesmo processo acontece quando Deus nos apresenta a sua luz, a natureza caída do bem e do mal entra em raciocínios e especulações, gerando a incredulidade e procurando desviar o homem da luz.

João 12:35-36 Disse-lhes então Jesus: Ainda por um pouco de tempo a luz está entre vós. Andai enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos apanhem; pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai. Enquanto tendes a luz, crede na luz, para que vos torneis filhos da luz.

Havendo Jesus assim falado, retirou-se e escondeu-se deles.

Quando o homem recebe a revelação da existência de Deus, tenha certeza que o inferno se levantará para impedi-lo de avançar. Deus nos encoraja a seguir adiante, nos dá sinais, nos lembra situações, faz de tudo para que permaneçamos na luz que recebemos, porém precisamos crer na luz para que novamente nosso coração não se obscureça. Enquanto temos a luz, creiamos na luz.

A luz permanece por um momento entre nós e este é o tempo necessário para buscar a consolidação do conhecimento de Deus, para nos tornarmos filhos da luz. Se negligenciamos este momento, a luz se vai e as trevas voltam. É como comer um chocolate, o gosto permanece na boca por um tempo, mas logo em seguida ele vai sumindo, até desaparecer.

1 Corintios 2:14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

O maior problema que enfrentamos quando recebemos a luz de Deus é tentar racionaliza-la. Isto não é possível, Deus não segue as leis naturais da razão, pois como poderemos entender Deus com a mente cheia de veneno?

A lei da razão só toca o certo e errado, o bem e o mal, não vai além disso. Paulo disse aos Corintios que o homem natural não pode entender as coisas do Espirito de Deus. A única coisa que podemos fazer é confiar e seguir na luz, aguardando em Deus para que a luz aumente e possamos vê-lo claramente.

Este é o processo de cruz, a qual negamos nossa vontade de agir por nós mesmos, negamos as nossas razoes, especulações, nosso conhecimento e confiamos na revelação do Espirito de Deus.

João 9:4 Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar.

Rm 1:21 - Render graças ao Senhor
Romanos 1:21 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.

Dar graças a Deus é uma das coisas mais corriqueiras que conhecemos. Quando acontece um fato positivo na nossa vida, falamos: “Graças a Deus!”, quando nos livramos de um problema, idem. Quando alguem que não gostamos se dá mal, agradecemos a Deus. Quando levamos vantagem sobre os outros, damos graças a Deus. Enfim, dar graças a Deus virou expressão popular, esculachada e sem realidade. Paulo diz que os homens, tendo conhecido a Deus, não lhe renderam graças. Isto não significa que não diziam “graças a Deus” com as suas bocas, mas que dentro do seu coração não houve o devido reconhecimento da grandeza do Criador, da honra que Ele merece. Veremos isso com alguns exemplos.

1 Crônicas 16:34 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

Romanos 7:18 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está.

Este versículo de Cronicas vai direto ao ponto, ele nos mostra o que é render graças ao Senhor de uma forma muito objetiva e clara. Ele diz para rendermos graças ao Senhor, porque Ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre.  Certa vez um homem chamou Jesus de bom e recebeu como resposta uma pergunta e uma afirmação: “Porque me chamas bom? Somente um é bom, Deus que está nos céus”. Veja que nem Jesus se considerava bom, mas dizia que bom era somente Deus. Este é o ponto que nos mostra porque devemos render graças a Deus: porque nós não somos bons, ou seja, se há algo de bom em nós, isto veio de Deus, se há algo de bom na nossa vida, isto veio de Deus, se algo de bom está ocorrendo, isto veio de Deus. Do homem não pode vir nada bom, nenhum beneficio, nenhuma benção, porque dentro do homem não habita bem algum.

Pensamos que as conquistas da nossa vida, o fruto do nosso trabalho é mérito pessoal. Até entre os cristãos existe este conceito de que o homem tem méritos, de que Deus sozinho não faz nada e que precisa do homem. As palavras não podem ser torcidas. Deus conta apenas com o livre-arbitro do homem, para que este se incline a obedece-lo, pois isto foi definido na sua Economia. Apenas isso. As demais coisas é Deus quem faz. Se o homem tivesse alguma capacidade, algum poder, alguma força, algo de bom para oferecer, Deus não precisaria ter descido da gloria, morrer numa cruz, ressuscitar e entrar no homem.

Porque Deus faria isso, se o homem fosse bom?

Não precisaria. Foi justamente pelo fato de não haver nada de bom entre os homens, que Deus veio à terra.  Daí graças ao Senhor, porque Ele é bom.

Lucas 18:10-12 Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o outro publicano.  O fariseu, de pé, assim orava consigo mesmo: Ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo quanto ganho.

No livro de Lucas temos este belo exemplo do que é render graças ao senhor. Dois homens se colocaram para orar, um fariseu e um publicano. O fariseu é o da religião judaica, que conhece a lei de Deus, já o publicano é odiado por todos, pois são os cobradores de impostos. O fariseu deu graças a Deus por não ser como os pecadores. Veja que o senso de valor pessoal dele é elevado. Ele olhava para si e se achava superior aos demais homens. Alem disso, mostrou para Deus uma lista dos seus feitos: não roubava, não era injusto, nem adultero, jejuava e dava o dizimo. Se dependesse deste fariseu, mais um pouco e ele redimia a humanidade. Na sua oração havia puramente orgulho por manter exteriormente uma vida sem pecados. Deus não olha o que o homem faz mas sim o que tem dentro dele. Quem a si mesmo se louva não é aprovado.

2 Corintios 10:17 Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor. Porque não é aprovado aquele que se recomenda a si mesmo, mas sim aquele a quem o Senhor recomenda.
Quando o fariseu disse que não era como os demais homens, mostrou que não estava rendendo graças a Deus, mas rendendo graças a seu ego. Temos que dar graças a Deus porque Ele é bom e não porque somos bons. Veja que diferença. Nunca podemos dizer que já vencemos em determinada área, que isto nunca nos acontecerá, porque todos os livramentos e bençãos que recebemos vem de Deus. Mesmo as coisas mais grosseiras, não diga que já venceu, pois isto não é verdade. Deus, por misericórdia, está nos livrando de não cair. Davi, que era um homem segundo coração de Deus, conhecedor dos mistérios profundos de Deus, vacilou e caiu em adultério, logo em seguida matou um homem. Deus teve que mostrar a Davi que ele não era bom, que mesmo depois de se tornar Rei de Israel, ainda era pecador e dependia de Deus para tudo.

Lucas 18:13 Mas o publicano, estando em pé de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, o pecador!
O publicano é o homem orando com realidade, dando graças a Deus. Veja que ele não se achava uma pessoa boa, mas um pecador, e por ser pecador, clamava para Deus ser propicio a ele. Quando um homem reconhece que é pecador e que não habita nele bem algum, ele reconhece que tudo o que tem vem de Deus. Ele dá graças a tudo, pela saúde, pela comida, pelas coisas boas, pelas coisas ruins, pelas honras, pelas ofensas. No capitulo oito de romanos Paulo diz que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados segundo o seu proposito. Todas as coisas vem de Deus para a nossa vida, algumas para nos consolar, outras para nos exortar, também para corrigir, e também para nos ajudar. Deus tem o melhor para nós e sabe o que é melhor. Precisamos confiar e dar graças a Ele por todas as coisas.
Lucas 18:14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado.
Estudo de Romanos - Rm 1:21 - Tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus.
Romanos 1:21 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Quando a informação da existência de Deus chega ate nós, podemos ter diversas reações. Se antes pensávamos que eramos obra do acaso, agora sabemos que existe um Criador, com inteligência e poder infinitamente superiores ao homem, a qual nos observa e tem meios de interferir na nossa vida. Muda tudo. O homem sem Deus tem uma rotina, que é buscar a própria sobrevivência. Todos os dias ele acorda e precisa urgentemente buscá-la. Nesta rotina, ele desenvolve mecanismos de defesa, que é a maneira de se relacionar com o mundo lá fora. Todos os movimentos do homem sem Deus buscam proteger e satisfazer a si mesmo, o seu ego. A psicologia humana está ai para explicar isso. Porém quando o homem conhece a Deus, sabe da existência de Deus, a vida que levou até aquele momento perde o sentido. Ele sabe que precisará perder tudo o que acumulou durantes todos aqueles anos para poder contactar a Deus. Ele não irá mais se proteger, pois Deus o protegerá. Ele não irá mais buscar a própria satisfação e alegria, pois Deus a dará, ele não irá mais viver para si, pois agora viverá para Deus.
Mateus 8:8 O centurião, porém, replicou-lhe: Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado; mas somente dize uma palavra, e o meu criado há de sarar.
Mateus 8:10 Jesus, ouvindo isso, admirou-se, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que a ninguém encontrei em Israel com tamanha fé.
Para quem está acostumado a resolver os problemas usando a própria sabedoria, seus próprios argumentos e métodos, recorrer a Deus através da oração é uma grande humilhação. Orar é reconhecer que não tem forças, que não pode fazer algo. Isso é totalmente contrario à natureza humana que está em nós, que quer resolver as coisas relativas a nossa vida usando o conhecimento, a experiencia adquirida durante os anos. Temos muito orgulho disso. No livro de Mateus há um exemplo, o momento em que um centurião romano chegou até Jesus para clamar pela vida de um criado. Os romanos dominavam a palestina naquela época, eram a autoridade natural daquele lugar, pois mesmo assim este centurião se humilhou de tal forma que até Jesus ficou impressionado. Jesus se ofereceu para ir até a casa dele para curar o seu criado, mas o centurião não se considerou pessoa digna de receber um homem santo e justo como Jesus. É como se dissesse: “Senhor, eu sou pecador, sou pagão, tu é um homem santo, tu não merece a desonra de entrar na minha casa”. Este homem glorificou a Deus, pois reconheceu a sua posição de criatura, de que não é merecedor de nada. Quando um homem se coloca na sua posição, ele deu liberdade para Deus agir em sua vida. A posição é a chave para Deus se mover a favor de um homem. Deus não muda a sua posição, Ele está sempre no mesmo lugar, esperando que os homens se convertam e voltem a se considerar criaturas. Jesus se admirou daquele homem e disse que nem em Israel havia encontrado tamanha fé, nem entre aqueles que conheciam a Deus, alguem O havia glorificado de tal maneira como aquele centurião romano.
Salmos 133:3 é como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre.
Deus tem uma vida de descanso aguardando o homem, não é algo futuro, para daqui a muito tempo, ou depois da morte física. Esta nova vida, a qual oferece uma alma sadia, cheia de vida, em paz, é algo já disponível para todos os homens hoje. O reino dos Céus iniciaram quando Jesus levantou da sepultura. A partir daquele momento ele tornou-se o Espirito que dá a vida e todo aquele que o recebe, pode desde agora desfrutar das riquezas da terra de Canaã. O que nos impede este desfrute? Nossa vida antiga, aquela que vive para o ego. Aquela que não se humilha para Deus como o centurião se humilhou. Aquela que não desiste de se defender, que não desiste de exigir seus direitos, suas bençãos. Existe um lugar, uma posiçao onde Deus derrama a sua benção para o homem, Deus está lá nos esperando.
Estudo de Romanos - Rm 1:20 - Os atributos invisíveis de Deus
Romanos 1:20 Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis;
A Bíblia é um livro incrível, inspirado por Deus, que tem o poder de revelar todos os mistérios da vida. Por ela sabemos quem é Deus, o Criador, como Ele pensa, como age, qual seu plano. Além disso, ela nos revela quem somos nós. Estas duas revelações combinadas são suficientes para decidirmos os rumos da nossa vida. O apostolo Paulo diz em Romanos que Deus tem atributos invisíveis, ou seja, que não pode ser percebido pelas faculdades físicas e psicológicas do homem. Deus então, através das coisas criadas, manifestou seus atributos invisíveis ao homem, de maneira que possamos vê-los e entende-los. A Bíblia nos auxilia nesta tarefa.
Gênesis 1:3 Disse Deus: haja luz. E houve luz.
João 8:12 Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida.
Vejamos este exemplo que está no livro de Gênesis. O atributo invisível de Deus aqui é a luz. Deus é luz, Jesus também disse que era a luz do mundo. Como podemos ver isso? Através da criação, então Deus disse: “Haja luz. E houve luz”. A luz, portanto, tem duas maneiras de ser interpretada: a espiritual, que é o atributo divino da luz, e a natural, que é a manifestação da luz entre os homens. Se você estudar a luz, sua composição, seus atributos, suas características, irá descobrir muitas coisas a respeito de Deus. Hoje podemos conhecer a luz na prática. Se você está num ambiente escuro, tem dificuldade de se mover, por medo de esbarrar em alguma coisa. Quando a luz chega, você enxerga claramente e vai adiante com passos firmes, pois se houver algum obstaculo, você desvia. A luz de Deus tem este poder na nossa vida espiritual. Quando ela chega, faz você enxergar o que não estava vendo sobre você mesmo. Imediatamente você desvia, troca o rumo e vai adiante naquilo que Deus tem para a sua vida. A luz, que era um atributo invisível, tornou-se visível e uma ferramenta para nos auxiliar.
Mateus 7:16 Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?
Gálatas 5:22-23 Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei.
Este exemplo do livro de Mateus nos mostra as frutas como um outro exemplo de coisas criadas que ministram os atributos divinos invisíveis de Deus. Deus queria manifestar a sua essência, o seu amor, a qual desceu dos céus para tornar-se homem e morrer na cruz para redimir toda a criação. Como podemos entender isso? Através da uva. A uva é a fruta que após ser amassada, irá tornar-se a bebida que representa o sangue de Cristo derramado na cruz. Através da uva, podemos ver este atributo de Deus. Cada cacho de uva, tem muitos gomos, e cada gomo representa uma parcela dos atributos invisíveis de Deus. A soma dos gomos, forma o Fruto do Espirito, como está em Gálatas. Repare que é apenas um fruto, mas muitos gomos. O fruto do espirito é um, porem com muitos gomos. Temos também o figo, que representa a doçura de Deus, o seu apascentamento, o bom pastor que cura as feridas das ovelhas. Você já comeu um figo bem doce? Então sabe o prazer que representa a doçura de Cristo. São as suas consolações. Faça uma pesquisa na Bíblia a respeito do figo e com certeza irá entender melhor o que Deus quer falar sobre este atributo.
Números 13:23 Depois vieram até e vale de Escol, e dali cortaram um ramo de vide com um só cacho, o qual dois homens trouxeram sobre uma verga; trouxeram também romãs e figos.


Este estudo foi visualizado 22239 vez(es)

Ir para o Portal Casa do Senhor - Clique Aqui

Estudos Bíblicos

Copyright(c) 2003-2012. Ministério Internacional Casa do Senhor. Todos os direitos reservados.
Rádio Web Nova Vida - www.casadosenhor.com.br | www.casadosenhor.com | www.casadosenhor.pt