Despojando-Vos de Toda a Malícia e Engano

 

DESPOJANDO-VOS DE TODA A MALÍCIA E ENGANO

 

"Deixando (Despojando), pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo; se é que já provastes que o SENHOR é benigno; e, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo." (1 Pedro 2:1-5)

O apóstolo Pedro começa este capítulo com uma exclusão. Para ele a eliminação de certos costumes é básica no sentido do progresso espiritual.

Pode-se fazer uma analogia aqui. Não há crescimento adequado quando uma criança está contaminada de vermes. Uma boa alimentação não é suficiente para um organismo parasitado.

Antes de cuidar da nutrição precisamos prestar a atenção na verminose. Um organismo bichado não tem um bom apetite. Além disso, os parasitos minam o vigor do organismo. Sendo assim, devemos considerar os vermífugos tão importantes como uma boa alimentação.

Descontaminar o organismo é indispensável para o desenvolvimento saudável de uma criança.

Despojar é retirar de um morto os seus pertences.

Aliás, depois que alguém morre já não é proprietário de coisa alguma. Pedro fala do velho homem que deve ser removido:

"Deixando (Despojando), pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações." (1 Pedro 2:1)

Esses parasitos precisam ser banidos daqueles que foram crucificados com Cristo.

Por que muita gente não cresce na vida espiritual?

Porque há vermes demais roubando o entusiasmo.

Tiago também mostra a necessidade da expurgação antes da nutrição e implementação da Palavra.

"Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas." (Tiago 1:21)

A Palavra já foi implantada em nós, mas é preciso promover o desentupimento do lixo entulhado na alma, bem como o amontoamento da maldade através dos anos da vida no pecado.

"Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis." (Romanos 8:13)

Como é que nós podemos mortificar, pelo Espírito, os feitos da carne?

Creio que esta obra de mortificação é por meio do levar em nosso corpo os efeitos da morte de Cristo.

Veja como o apóstolo Paulo apresenta esse tópico:

"Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos." (2 Coríntios 4:10)

E como é que podemos levar o morrer de Jesus em nosso corpo?

Entendo que é uma operação do Espírito Santo em nossa vida, com a instrumentalidade da Palavra. No momento em que recebemos a revelação da Palavra de Deus pelo Espírito Santo, que a morte de Jesus foi de fato a nossa morte, ganhamos uma experiência que nos capacita a levar as implicações da morte de Cristo em nosso corpo.

O Espírito de Deus é quem opera na vida do crente mediante a Palavra de Deus.

Como é que nós nos despojamos de todos esses vermes que sugam a vida espiritual inserida em nós, por meio do Espírito Santo, através da Palavra de Deus?

É pela mortificação desses feitos, operada por intermédio do sacrifício de Cristo, que o Espírito Santo realiza em nós, pela revelação da Palavra de Deus.

O que estou dizendo é que por meio da Palavra de Deus o Espírito Santo realiza em nós tanto a purificação do entulho da alma, pelos efeitos da cruz, como a alimentação do espírito regenerado.

A Palavra de Deus é comparada ao leite materno, que ao mesmo tempo em que alimenta o filhote, o defende dos parasitos e vírus.

A Bíblia é o tipo de um peito que faz brotar o genuíno leite que satisfaz as necessidades orgânicas do bebê e também o imuniza contra os agentes adoecedores.

Ela é o colostro do El-Shadai, isto é:

O Deus Todo-poderoso que amamenta e que, além de vacinar naturalmente contra as seqüelas do pecado, ainda alimenta os renascidos com o puro leite espiritual.

"A quem, pois, se ensinaria o conhecimento? E a quem se daria a entender doutrina? Ao desmamado do leite, e ao arrancado dos seios?" (Isaías 28:9)

O leite materno é a principal alimentação para os recém-nascidos. Na verdade deve ser o único alimento deles.

O PRIMEIRO ESTÁGIO DA ALIMENTAÇÃO ESPIRITUAL É O LEITE DA PALAVRA

"Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino." (Hebreus 5:13)

Uma mulher emocionalmente acalorada pretende valorizar o aleitamento da mãe de Jesus acima de qualquer estimativa, dando a entender que aquela era a sua maior felicidade, quando grita:

"E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste." (Lucas 11:27)

Não há dúvida que a amamentação é fundamental para os nenês e todas as mães devem ter o privilégio de poder amamentar os seus filhos com grande alegria.

Mas Jesus responde àquela mulher mostrando onde reside a verdadeira felicidade:

"Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam.!" (Lucas 11:28)

Ouvir a Palavra de Deus e cumpri-la é mais importante do que amamentar.

"LOUVAI ao SENHOR. Bem-aventurado o homem que teme ao SENHOR, que em seus mandamentos tem grande prazer."(Salmos 112:1)

A Palavra de Deus é também comparada em doçura ao mel, sendo este o alimento mais completo da natureza para crianças e adultos. O salmista afirma que os juízos do Senhor são mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos.

"Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos." (Salmos 19:10)

O mel como fonte de energia, extrapola a todos os alimentos naturais. É benéfico para todas as pessoas, desde os bebês até os idosos, principalmente para quem está desempenhado atividades físicas. Além da nutrição, o mel transmite ao homem os princípios ativos contidos nas flores, assim sendo, os seus efeitos terapêuticos são determinados pelas plantas visitadas pelas abelhas. O mel é alento e também alívio.

A PALAVRA DE DEUS É ALIMENTO

Quando Satanás tentava Jesus no ermo, querendo que transformasse pedras em pães, Jesus respondeu:

"Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus." (Mateus 4:4)

Fica claro aqui que a Palavra de Deus é comparada a mantimento. Ela é o sustento espiritual de todos os filhos de Deus. Como o pão, o leite ou o favo de mel ela tem o poder de nutrir a vida do espírito.

Curioso é que Jesus ressuscitado comeu um favo de mel:

"Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; o que ele tomou, e comeu diante deles." (Lucas 24:42-43)

É extraordinária a idéia do corpo glorificado se alimentar. Jesus havia perdido o seu sangue na cruz e ressuscitou em carne e osso, mas sem sangue. Como esse corpo faz o processo digestivo? Mas ele comeu. Comeu peixe, símbolo da fé cristã, e mel, uma boa alegoria da Palavra de Deus.

Alguém disse que leite é alimento de gente miúda, enquanto mel é bóia de gente madura. A Palavra de Deus é leite para os recém-nascidos e comida sólida para os adultos. Mas em ambos os casos ela é mais doce do que o mel.

"Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca." (Salmos 119:103)

Além de o mel ser um excelente alimento, ele também é remédio.

"As palavras suaves são favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos." (Provérbios 16:24)

A palavra de Deus é comparada ao leite e ao mel. O leite é tanto alimento como defesa. O mel ao mesmo tempo em que é comida é também remédio. A Palavra de Deus igualmente sustenta e cura. "Enviou-lhes a sua palavra, e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal". Salmos 107:20.

A fome do espírito só é satisfeita pelo manjar celeste. Somente a Palavra de Deus pode abastecer a vida espiritual. A grande carência dos filhos de Deus é a nutrição por meio das iguarias de Deus. Já entrei no meu jardim, minha irmã, noiva minha; colhi a minha mirra com a especiaria, comi o meu favo com o mel, bebi o meu vinho com o leite. Comei e bebei, amigos; bebei fartamente, ó amados. Cantares 5:1.

Nada fora do menu bíblico pode ser correspondente ao apetite do espírito. A crise da igreja atual é uma anormalidade na apetência. Há muita gente comendo os quitutes fora do cardápio de Deus. Por isso o Chefe celestial exorta ao profeta. E me disse: Filho do homem, dá de comer ao teu ventre e enche as tuas entranhas deste rolo que eu te dou. Eu o comi, e na boca me era doce como o mel. Ezequiel 3:3.

O maná era uma comida para cada dia. A cozinha do céu não requenta as sobras. Precisamos do pão diário. Jesus foi claro ao dizer: o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; Mateus 6:11. Não é bom comer pão dormido. Pão duro é sinônimo de miserabilidade e todos nós precisamos sentar à mesa, para participar da fartura desse banquete espiritual, em que o maná, com o seu sabor de pão de mel, tipifica a palavra de
Deus. Deu-lhe a casa de Israel o nome de maná; era como semente de coentro, branco e de sabor como bolos de mel. Êxodo 16:31.

Só uma dieta equilibrada pode garantir um crescimento saudável.

Há muita gente obesa hoje em dia no meio cristão. Elas comem todas essas guloseimas do fast-food religioso, tentando compensar a carência, que somente a Palavra de Deus pode suprir. A mãe, as abelhas e o Pai celeste nos dão dietas balanceadas. Comamos do cardápio de Deus cada dia. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares. Filho meu, saboreia o mel, porque é saudável, e o favo, porque é doce ao teu paladar. Isaías 55:2 e Provérbios 24:13.

Cristo é o pão que desceu do céu. Ele é a dieta balanceada que satisfaz a nossa alma. Ele é o único alimento que verdadeiramente atende às necessidades humanas. A Escritura é o livro de receita que revela a nutrição de nosso ser. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e igualmente eu vivo pelo Pai, também quem de mim se alimenta por mim viverá. João 6:57.

 

arrow_upward
Pedido de Oração