Encorajando-Vos Uns Aos Outros

 

ENCORAJANDO-VOS UNS AOS OUTROS

 

Leilão no inferno – uma ferramenta à venda – O DESÂNIMO, pois, com ela posso penetrar profundamente no coração das pessoas, esmagando suas emoções e imobilizando suas mentes.

ENCORAJAMENTO

É o antídoto mais eficaz no contra-ataque à infecção do desânimo, por isso é essencial nos muitos relacionamentos do Corpo de Cristo.

ENCORAJE-ME

É provável que você nunca tenha feito este pedido a alguém. Mas, se pudesse falar a verdade, diria que está tremendamente necessitado de um sorriso, uma palavra de consolo, um carinho especial.

O VALE DO DESÂNIMO 

O propósito de Deus é ministrar ao seu coração ou usá-lo para encorajar a outros. Deus é para nós o que somos para nossos filhos. Ele é a nossa rocha, refúgio, proteção. Ele é quem nos ergue a cabeça quando estamos cabisbaixos.

Ele se aproxima de nós na angústia, abraça-nos, conforta e anima, enxuga nossas lágrimas, enfim, Ele é o Consolador – Em João Capítulos 14 a 16, Jesus identifica o Espírito Santo como Consolador.

– Português = Consolador

– Grego – Parakaleo – Para = ao lado de – aleo = chamar

– PARAKALEO = chamar ao lado de..., para apoiar, sustentar, etc. 

Na época em que viveu Jesus, esta palavra era usada como termo técnico para descrever um advogado numa corte grega – alguém designado para apoiar, defender o acusado – com o passar do tempo esta palavra passou a significar alguém chamado para ajudar, aconselhar, sustentar, apoiar, encorajar – esta é uma das grandes obras do Espírito Santo em nossa vida.

Em sua última mensagem aos discípulos, antes de despedir-se deste mundo, Jesus disse que enviaria alguém para substituí-Lo – Eles não ficariam órfãos.

O Espírito Santo viria não somente ficar com eles, mas muito mais importante: habitaria neles.

O próprio Jesus deixou-nos palavras esclarecedoras a este respeito:

"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre" (João 14:16)

"Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito." (João 14:26)

"Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim." (João 15:26)

"Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei." (João 16:7) 

Em cada uma dessas passagens o Espírito Santo realiza um ministério específico:

  • Habita conosco para sempre
  • Ensina todas as coisas
  • Testifica de Jesus
  • Substitui a Jesus

O ENCORAJADOR É QUE CONTINUA O MINISTÉRIO DE CRISTO NA TERRA

Habitando, apoiando, ajudando, motivando e dando poder aos que crêem no Senhor Jesus. Foi isto que Paulo quis dizer em sua carta aos 2 Coríntios cap 1 versos 3 e 4: "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus." – Aqui Deus é chamado O Grande Consolador, Encorajador. Ele nos consola em nossas tribulações para que sejamos consoladores e encorajadores de outros que estejam passando angústias.

Devemos ser parakaleos abraçando as pessoas, enxugando suas lágrimas, chorando com elas, orando, lendo a Bíblia, segurando as mãos dos irmãos.


Além do amor 4 motivos que existem que nos devem impulsionar a exercer o ministério de encorajamento.

1. O encorajamento glorifica a Deus: "Ora, o Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus. Para que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo." (Romanos 15:5-6)

2. O encorajamento é uma ordem de Deus: "Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis." (1 Tessalonicenses 5:11)

– Esta é uma das maiores tarefas da Igreja. A Igreja e o lar deveriam ser hospitais para os feridos, angustiados, discriminados, desajustados e desanimados. Deus sabia que necessitaríamos deste ministério, por isso deu a ordem: “Encorajai-vos uns aos outros”.

3. O encorajamento evita o endurecimento do coração: – Hebreus 3.13. Como é fácil alguém endurecer-se pelo engano do pecado e cair na armadilha de Satanás. Uma palavra de encorajamento fortalece, anima – a tendência do homem é ser crítico, áspero, impaciente. Salomão disse: “A morte e a vida estão no poder da língua (Provérbios 18.21) – Temos usado palavras de vida para retirar alguém do caminho enganoso preparado pelo diabo?

4. O encorajamento edifica o espírito do homem – II Coríntios 2.5-11 –Perdoai-o e confortai-o. Ao encorajarmos trabalhamos com pedaços de uma vida quebrada, tal qual o oleiro quando refaz o vaso partido. O encorajamento oferece uma Segunda chance. Na Igreja Primitiva o exemplo de José – Atos 4.36-37 – Barnabé – Surge o parakaleo – Paulo novo convertido – Atos 9.26-27; 11.23 – Antioquia – Viu a graça de Deus – Atos 11.25-26 – Barnabé e Paulo – Atos 13.1 – Paulo e Barnabé – Atos 13.43.
Barnabé – João Marcos – Paulo Silas – o Evangelho de Marcos...

Reflita um pouco:

Você conhece alguém que necessite de auxílio financeiro? Alguém que precise ser defendido de uma calúnia? Ou uma pessoa carente de aceitação e comunhão dos irmãos? Alguém que precise ser conduzido a uma posição onde possa exercer melhor seu dom? Você conhece algum “João Marcos” fracassado, cabisbaixo, que precise de uma palavra de encorajamento, uma demonstração de confiança, um abraço?

– Quem sabe você poderá ser o Barnabé para esta pessoa? Vá com calma: Quero salientar vários conceitos importantes:

1. Reconhecer o poder da palavra dita a seu tempo – Provérbios 16.24; 12.25; 18.21; 15.4; 25.11 – Para ser um “parakaleo” – para segurar o assento da bicicleta precisamos usar a palavra a seu tempo.
2. Reconhecer que os necessitados de encorajamento (na maioria das vezes) desenvolvem camadas de auto-proteção por medo de serem rejeitados. Escondem-se. Fachada = hipocrisia.
3. Nossas palavras devem ser inspiradas pelo amor e direcionadas aos “temores” do outro – Hebreus 10.24-25

 

Número de visualizações 2233

arrow_upward
Pedido de Oração