O Homem Depois Da Queda

 

O HOMEM DEPOIS DA QUEDA


Morto espiritualmente, isto é, separado da vida de Deus, tendo perdido a vida de Deus em seu espírito, o homem que era espiritual passou a ser homem natural. A alma (o ego) está no comando. A alma em trevas comanda e determina o que o espírito deve adorar.
 

"Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração." (Efésios 4:18)

A alma do homem no pecado

Mente (raciocínio) - seus pensamentos são maus, são vãos, são iníquos.

Is 59: 7 - "Os seus pés correm para o mal, e se apressam para derramarem o sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniqüidade; a desolação e a destruição acham-se nas suas estradas."

Emoção - o alvo das emoções do homem deixou de ser Deus, e ele chegou ao ponto de odiar a Deus que o criou e o sustenta a cada momento. O homem usa suas emoções para amar os deuses que ele mesmo levanta.

Rm 1: 23 - "E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis."
 
Vontade - tudo isto é determinado pela vontade, que age contra a vontade de Deus.

Espírito - O homem no pecado usa a intuição para ouvir a voz que vem do mundo através dos ouvidos e interpretada pela alma. Ele não entende mais a voz de Deus.

Consciência - não reconhece mais a Palavra de Deus, ficou cauterizada, fraca, corrompidas.

I Tm 4: 2 - "Pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada."
 
I Co 8: 7 - "Entretanto, nem em todos há esse conhecimento; pois alguns há que, acostumados até agora com o ídolo, comem como de coisas sacrificadas a um ídolo; e a sua consciência, sendo fraca, contamina-se.".
 
Tt 1: 15 - "Tudo é puro para os que são puros, mas para os corrompidos e incrédulos nada é puro; antes tanto a sua mente como a sua consciência estão contaminadas."
 
Adoração - o homem adora qualquer coisa, objeto ou criatura que a alma lhe aponte, menos a Deus.
 
Rm 1: 25 - "Pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
 
Se o homem não resolver o problema do pecado durante sua vida física (entre nascer e morrer) aqui na terra, após sua morte física (se ele permanecer morto espiritualmente), passará para o terceiro tipo de morte: a morte eterna.
 
Hb 9: 27 - "E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disso o juízo."
 
A atitude básica de pecado é não reconhecer a necessidade de Deus. É fazer Deus desnecessário no assunto da vida!.
 
O pecado embotou o entendimento espiritual do homem; levou a alma à independência de Deus, o que torna o homem egoísta e obstinado. Autorizou o corpo a reinar.
 
A maldição que o pecado trouxe, dominou a terra e o homem. Mas, Deus havia feito uma aliança eterna que estava guardada até ali. Esta aliança era o plano para salvar o homem. E os planos de Deus não podem ser frustrados!
 
O filho de Deus - Adão - traiu o seu Criador e estragou, manchou o plano de Deus para a terra e para os homens; mas Ele vai enviar outro Filho à terra, e Ele teria que ser homem - um a nova cabeça de raça - para começar tudo de novo - Jesus Cristo - a semente da mulher.
 
Mas antes de começar tudo de novo, Jesus terá que acertar, que pagar a conta, a dívida contraída pelo primeiro homem, Adão. Jesus fez tudo isso.
 
Deus quer e agora pode - por causa do seu Filho e através de seu Filho, nos dar a vida de volta.
 
Sl 68: 20 - "Deus é para nós um Deus de libertação; a Jeová, o Senhor, pertence o livramento da morte."
Jo 11: 25,26 - "Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?"
 
Deus quer restaurar o homem

Deus quer restaurar o homem que Ele criou e a quem Ele ama profundamente.
 
Deus não pode por causa de Sua santidade, conviver com o homem em pecado; e o Seu plano para livrar o homem de ficar eternamente separado dEle, é o de elevar o homem a Seu nível de santidade (e foi para ser assim que o homem foi criado).
 
Mas Deus também não pode simplesmente apagar o que o homem fez, porque há uma lei estabelecida e uma pena para a transgressão da lei: Morte.
 
Ecl 7: 20 - "Pois não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque."
 
Ez 18: 20 - "A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai,nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele, e a impiedade do ímpio cairá sobre ele."
 
Jesus Cristo se ofereceu antes da fundação do mundo para morrer no lugar do homem, e por isto Ele precisava se tornar homem, tomar carne/sangue/ossos sobre Si, Se identificar completamente com a raça humana.
 
Quando Jesus Cristo morreu na cruz, era o homem morrendo. Jesus carregou todo o pecado da humanidade, recebeu em Si, a penalidade estabelecida por Deus para quem pecasse. Jesus morreu no lugar do homem.
 
Quando alguém crê nisto - Deus o identifica com Jesus - esta pessoa é colocada Em Jesus, na morte, no sepultamento, mas também na ressurreição de Jesus. Neste momento ela nasce de novo - é dado um novo espírito, habitado pelo Espírito de Deus. Ela morre na raça adâmica e nasce na nova raça - a de Cristo.
 
II Co 5: 17 - "Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo."
Gn 3: 15 - "Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a sua descendência; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar."

 
Isto foi o início da revelação do plano para salvar o homem. É a primeira declaração de Deus, a primeira profecia a respeito do Salvador.
 
Ali, Deus estava dando novamente ao homem, algo para ele crer. Naquela promessa de Gn. 3:15, ele podia ver que não era o fim, mais adiante tudo voltaria a ser como eles viram e experimentaram no Éden. Agora, o que precisavam era crer e agir de acordo com esta fé.
 
Gn 3: 21 - "E o Senhor Deus fez túnicas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu."
 
Apesar de estarem vestidos com cintas de folhas de figueira, Adão e Eva sabiam que estavam nús diante de Deus.Já vimos que folhas de figueira representam as tentativas inúteis do homem para salvar-se a si mesmo.
 
Mas aquele casal sabia que estava nú; com esta declaração, mais a declaração direta; "eu comi" - eles se colocaram na posição de serem salvos - reconheceram seu ato e seu estado.
 
Deus, então providencia uma vestimenta que realmente os vestiria diante dEle; vestimentas de peles - para que o casal se vestisse, foi necessário que animais morressem, que sangue fosse derramado.
 
O Senhor começa a apontar para o Cordeiro que viria dar a Sua vida...
 
Lv 17: 11 - "Porque a vida da carne está no sangue: pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que faz expiação, em virtude da vida."
Ao aceitar as vestes de Deus, eles mostraram que acharam refúgio e segurança no sangue derramado, que aceitaram a providência de Deus.

 
As nossas obras não valem nada para cobrir nossa nudez espiritual, se não aceitarmos as vestes de justiça que Jesus nos dá na cruz, estaremos nus diante de Deus.
 
Is 64: 6 - "Pois todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha,e as nossas iniqüidades, como o vento, nos arrebatam."
Esse é o nosso estado natural. Quando somos salvos, somos revestidos de Cristo.

 
Gl 3: 28 - "Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus."
Para que eu fosse revestido com a roupa de salvação de Jesus, Ele Se vestiu com os meus trapos... e morreu a minha morte.

 
Is 61: 10 - "Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegrará no meu Deus, porque me vestiu de vestes de salvação, cobriu-me com o manto de justiça, como noivo que se adorna com uma grinalda, e como noiva que se enfeita com as suas jóias."
O que Deus faz?
 
Ele substitui o homem para receber n Ele a justiça dele mesmo; Deus, no lugar do homem - para ser Justo (cumpriu toda a Sua justiça), e Justificador (pode perdoar, pode justificar o homem = declarar o homem justo).
 
Deus é vencedor! A luz venceu as trevas e para fazer a vitória bem segura, Deus mandou o casal para fora do jardim e guardou o caminho para a arvora da vida. Era para impedir que eles comessem daquela árvore e vivessem eternamente naquele estado de pecadores (salvos, mas ainda pecadores).
 
A Árvore da Vida
 
Gn 3: 22,24 - "Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente. O Senhor Deus pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra, de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs ao oriente do jardim do Éden os querubins, e uma espada flamejante que se volvia por todos os lados, para guardar o caminha da árvore da vida."
 
Começa a História da Raça
 
Vemos em Gênesis que satanás disse meia verdade, o que significa também uma mentira. O que ele não informou é que ao conhecer o mal por experiência, a inclinação seria para o mal, e não para o bem. Deus conhece o bem e o mal mas não tem experiência do mal. Ao entrar para este conhecimento pela porta errada ( a porta do mal ), o homem se tornou escravo do pecado.
 
Rm 6: 17,18 - "Mas graças a Deus que, embora tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; e libertos do pecado, fostes feitos servos da justiça.
 
A partir dessa época, Deus estará lidando com uma raça de pecadores, caída.
 
Em todas as épocas, o primeiro passo para o homem ser vitorioso e voltar a ser vivo, é restabelecer o relacionamento com Deus. Da maneira que Deus, por graça, mostra - e o homem aceita pela fé, a solução de Deus para o pecado.
 
Foi pela incredulidade que o pecado entrou na raça, portanto, para reverter a situação é necessário reverter o ato pecaminoso de Adão, isto é, crer, ter fé na Palavra de Deus que diz que salva e mostra qual é o único caminho para a salvação do homem.
 
Estamos entrando no estudo da época quando o homem se achou fora do jardim e num relacionamento diferente com Deus.
 
Neste período o homem foi deixado para ser guiado pela sua consciência. Num sentido geral, consciência é o conhecimento do bem e do mal que todo homem tem.
 
Rm 2: 14,15 - "Porque , quando os gentios, que não têm lei, fazem por natureza as coisas da lei, eles, embora não tendo lei, para si mesmos são lei. Pois mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os."
 
A consciência indica o bem, porém ela não tem o poder de levar o homem a praticá-lo. É muito perigoso deixar-nos guiar pela consciência, porque ela se torna elástica quando é guiada pela carne.
 
Durante este período, a raça humana não tinha governo, juízes, leis, etc. Cada um era responsável para fazer o bem e não fazer o mal.
 
Em cada período, Deus está mostrando que não importa em que condições seja deixado, o homem separado dEle não pode achar o caminho de volta, pelo contrário vai se afastar cada vez mais.
 
Em cada período, Deus revela Sua vontade para o homem (nas e áreas) , e este fica responsável por crer e seguir naquela revelação. O "seguir" é a prova , a concretização do "crer". Todas as pessoas, de cada período, que creram e viveram segundo a vontade de Deus para aquele período, eram os salvos daquele período.
 
Depois que o homem pecou, Deus interrompeu o Seu plano original para o homem e começou a trazer o plano de emergência, o plano salvador, a aliança eterna, para concertar o que o homem estragou. É disto que a Bíblia trata de Gn 3: 9 até Ap 21: 5.
 
Por que sangue?
 
O homem ficou separado de Deus sem a possibilidade de se comunicar com Ele, por causa do pecado.
 
Em Romanos 8: 3 diz que a condenação para o pecado é a morte. Esta morte é manifestada na carne - morte física, que foi conseqüência da morte espiritual: "morrendo morrerás". Realmente, o nosso corpo se não for subjugado, dominado pelo espírito, é inimigo de Deus, ele detesta as coisas de Deus, e quer ser o senhor da nossa vida, quando deveria ser servo.
 
Mas Deus, na sua lei, deixou lugar para um substituto: uma vida dada no lugar de outra vida. É necessário que haja morte porque o preço do pecado é a morte. Esta é a lei de Deus.
 
A vida da carne está no sangue. O sangue, portanto, é o símbolo da vida. ( da carne).
 
Deus indicou alguns tipos de animais, cujas vidas substituiriam a vida do homem diante dEle, até a vinda de um substituto homem - Jesus Cristo.
 
O sangue de animais era sangue inocente. Deus podia aceitar como cobertura para o homem poder subsistir diante da Sua santidade até que os pecados fossem removidos pelo "Cordeiro de Deus", o único sacrifício que saiu vivo!
 
Governo 
 
As ordens dadas em Genesis na área de governo nunca foram retiradas.
 
Gn 1: 28 - " Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra."
 
Palavra

Nesta área, vemos claramente que Adão instruir seus filhos, transmitindo-lhes, por exemplo, a necessidade de sacrificar a Deus. O princípio do pai ensinar os filhos é bem evidente na Bíblia; e Deus nunca muda Seus princípios. Eles são eternos, mas alguns só foram registrados mais tarde, na lei.
 
Adoração 

Sacrifício com sangue ficou instruído, pois vemos que Deus só aceita sacrifícios com sangue, e já vimos porque.
 
Todos os sacrifícios apontaram para Cristo e também naqueles períodos, eram o sinal, a prova, que o ofertante tinha Fé naquela provisão de Deus, na instrução de Deus.
 
Ao oferecer sacrifícios com sangue, o homem confessava que:
 
1 - era pecador e merecia a morte.
2 - que aceitava a solução de Deus para o seu pecado, reconhecendo que aquele animal morria em seu lugar.
Era preciso Fé para se crer nisto, como hoje, precisamos de Fé para crer em Jesus Cristo e Sua obra na cruz.
 
arrow_upward
Pedido de Oração