A Harmonia e Unidade da Bíblia

 

 
A HARMONIA E UNIDADE DA BÍBLIA
 
 
"Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação." (2 Pedro 1:20) 
 
A harmonia e unidade da Bíblia se constituem numa prova de que a mente de DEUS via tudo e guiava os seus escritores.
 
 
"Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada nos céus para vós, que mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo, em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo; ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso; alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas. 
 
Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada, indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir. Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar." (1 Pedro 1:3-12)
 
 
A HARMONIA E UNIDADE DA BÍBLIA SE CONSTITUEM NUM MILAGRE INIGUALÁVEL
 
Nunca, em qualquer outro lugar e em tão diversas circunstâncias, se juntaram tantos tratados diferentes contendo história, biografia, ética e poesia, para perfazer um livro. É algo semelhante a ossos, músculos e ligamentos que se combinam na forma do corpo humano, Quanto à sua harmonia e unidade a Bíblia não tem nenhum paralelo com a literatura humana, visto que todas as condições, humanamente falando, não apenas são desfavoráveis, mas fatais a tal combinação.
 
I. PORMENORES DA HARMONIA DA BÍBLIA
 
A existência da Bíblia até aos nossos dias só pode ser explicada como um milagre. Seus 66 livros escritos por cerca de 40 homens, num período de mais ou menos dezesseis séculos, somam-se num só com uma mensagem harmônica. Seu aspecto miraculoso realça quando estudados os seguintes elementos, partes do seu processo de preparação como livro.
 
1. Os escritores. Os escritores da Bíblia foram homens de, praticamente, todas as atividades da vida humana então conhecidas, razão por que encontramos os mais varia- dos estilos na sua escritura. Moisés foi príncipe e legislador. Josué foi um grande soldado. Davi e Salomão foram reis e poetas. Isaías, estadista e profeta. Daniel, ministro de Estado. Pedro, Tiago e João, pescadores. Zacarias e Jeremias, sacerdotes e profetas. Amós, agricultor e vaqueiro. Paulo, teólogo e erudito, e assim por diante.
 
Apesar de toda essa variedade de formação e ocupação profissional dos escritores da Bíblia, examina- dos os seus escritos, é possível notar como os mesmos se completam, tratando de um só assunto.
 
O que eles escreveram não se constitui em muitos livros, pelo contrário, são partículas que somadas formam um só livro, poderoso e coerente.
 
2. As condições. O estudante da Bíblia cedo descobrirá que não houve uniformidade de condições na composição do texto sagrado. Note por exemplo:
 
Moisés escreveu os seus livros nas solitárias paragens do deserto.
Jeremias, nas trevas e imundícies duma masmorra.
Davi,nas campinas, elevações dos campos.
Paulo escreveu suas epístolas ora em prisões, ora em viagens.
João escreveu o Apocalipse exilado na ilha de Palmos.
 
Não obstante tantas e diferentes condições em que os livros da Bíblia foram escritos, juntos eles são duma uniformidade incrível. O pensamento de DEUS, e não propriamente dos seus escritores, corre uniforme e progressivamente através dela, como um rio que, brotando da sua nascente, assemelha-se a um tênue fio dágua que vai se avolumando até tornar-se num caudaloso "Amazonas" de DEUS. Esta harmonia e perfeição é uma característica exclusiva do Livro de DEUS.
 
3. As circunstâncias. Foram as mais variadas as circunstâncias às quais estavam sujeitos os escritores da Bíblia quando escreveram os seus respectivos livros. Davi, por exemplo, escreveu parte dos seus escritos no calor das batalhas; enquanto que Salomão escreveu na paz e conforto dos seus palácios. Alguns dos profetas escreveram seus livros em meio à mais profunda tristeza, ao passo que Josué escreveu o seu livro em meio à alegria das conquistas de Canaã.
 
Apesar dessa pluralidade de condições, a Bíblia apresenta um sistema de doutrina uniforme, uma só mensagem de amor, um só meio de salvação. Do Gênesis ao Apocalipse é assim á Bíblia!
 
II. O PORQUÊ DA HARMONIA E UNIDADE DA BÍBLIA
 
Se a Bíblia fosse um livro resultante de esforços puramente humanos, certamente que sua composição seria algo extremamente confuso e indecifrável. Seria uma verdadeira Babel.
 
1. Confusão do homem e harmonia de DEUS. Imaginemos quarenta dos melhores escritores da atualidade, providos de todos os recursos necessários, isolados uns dos outros, em situações diferentes, cada um com a missão de escrever partes duma obra que somadas deveriam formar um todo. Se no final fossem reunidas todas as partes dessa obra, jamais teríamos um conjunto uniforme. Na verdade teríamos algo semelhante a uma colcha de retalhos.
 
Pois bem, imagine isto acontecendo nos antigos tempos em que a Bíblia foi escrita. A confusão seria muito maior. Numa época em que os meios de comunicação em nada se assemelhavam aos de nossos dias, nada a não ser a mente de DEUS assegurou o sucesso e a harmonia da Bíblia.
 
2. A perfeição da harmonia da Bíblia. Qualquer falta encontrada na Bíblia, será de pura responsabilidade humana, como tradução mal feita, grafia inexata, interpretação forçada, má compreensão de quem estuda, falsa aplicação dos sentidos do texto, etc. Portanto, quando encontrarmos na Bíblia um trecho aparentemente contraditório com o todo dela, não nos apressemos por concluir ser isso um erro da Bíblia. Tenhamos a capacidade de refletir e a humildade de confessar como Agostinho que disse: "Num caso desse, deve haver erro do copista, tradução mal feita do original, ou então, sou eu mesmo que não consigo entender..."
 
A perfeita harmonia da Bíblia, é para a mente humilde e sincera, uma prova incontestável da origem divina da mesma. É uma prova in- sofismável de que uma única Mente via tudo e guiava os seus escritores.
 
3. A catedral da revelação divina. Grandes catedrais, como as de Milão, na Itália, e Colônia, na Alemanha, precisaram de séculos para serem edificadas. Centenas e milhares de trabalhadores foram empregados na sua construção. Certamente ninguém necessita ser in- formado que por trás do trabalho desses edificadores, houve um arquiteto que construiu mentalmente nesses templos, antes de serem lançados os seus fundamentos. Alguém que antes de mais nada, traçou os planos e forneceu até mesmo especificações minuciosas, de modo que a estrutura deve sua simetria inigualável, não aos trabalhadores braçais que fizeram o trabalho bruto, mas àquele único arquiteto, o cérebro da construção, que planejou a catedral em sua totalidade.
 
A Bíblia é uma majestosa catedral. Muitos edificadores humanos, cada um por sua vez, contribuíram para a sua estrutura.
 
Mas, quem foi o seu arquiteto? Que mente foi aquela que planejou e enxergou o edifício pronto e acabado? Sem dúvida, a mente do DEUS que é desde o princípio - "NO princípio criou Deus os céus e a terra." (Gênesis 1:1)
 

Número de visualizações 14579

arrow_upward
Pedido de Oração