Acertando o Alvo

 

ACERTANDO O ALVO

 

"Disse o Senhor a Gideão: O povo que está contigo é demais para eu entregar os midianitas em sua mão; não seja caso que Israel se glorie contra mim, dizendo: Foi a minha própria mão que me livrou. Agora, pois, apregoa aos ouvidos do povo, dizendo: Quem for medroso e tímido volte, e retire-se do monte Gileade. Então voltaram do povo vinte e dois mil, e dez mil ficaram." (Juízes 7:2-3)

SE N√ÉO HOUVER UM OBJETIVO, N√ÉO HAVER√Ā √āNIMO PARA CONTINUAR LUTANDO

Algu√©m que possui um arco e uma flecha n√£o ter√° como exercitar se n√£o tiver um alvo. Aplicando este princ√≠pio a nossa vida, se torna uma realidade imprescind√≠vel, se n√£o houver um alvo, uma meta, um objetivo, um sonho... n√£o haver√° √Ęnimo para continuar lutando na vida, nossa vida n√£o passar√° de uma mera rotina entediante.¬†¬†¬† ¬†

Colheremos alguns exemplos práticos na vida de Gideão, um dos Juízes levantados por Deus para libertar Israel.   

O objetivo principal pelo qual Deus levantou Gideão era providenciar a libertação dos inimigos Midianitas, que fizeram cerco à Israel.                                                                                                                            

 1) APRENDENDO A CONFIAR EM DEUS:

"Disse o Senhor a Gideão: O povo que está contigo é demais para eu entregar os midianitas em sua mão; não seja caso que Israel se glorie contra mim, dizendo: Foi a minha própria mão que me livrou." (Juízes7:2)  

Uma das primeiras li√ß√Ķes que Gide√£o precisava aprender √© a confiar em Deus, e pensando nisso ent√£o lhe s√£o dadas ordens para que, diminua a quantidade de soldados do seu ex√©rcito.

Alguns conceitos de Deus ele então passaria a conhecer :                                                                               

Deus n√£o est√° limitado a tempo, espa√ßo e circunst√Ęncia: Gide√£o passaria a entender que Deus √© o Senhor absoluto, embora os ex√©rcitos inimigos fossem de grande poder b√©lico, n√£o poderiam prevalecer contra a M√£o de Deus. Deus √© superior ao racioc√≠nio humano: Uma grande multid√£o causaria um certo impacto de medo nos inimigos, neste tempo a quantidade era uma quest√£o de sobreviv√™ncia, os ex√©rcitos que prevaleciam eram os ex√©rcitos que continham mais soldados, por√©m, aos olhos de Deus isso n√£o tem grande import√Ęncia, simplesmente porque a vit√≥ria √© Ele mesmo quem garante. F√© e coragem s√£o os ingredientes essenciais: Como poderia Gide√£o diminuir a quantidade sem perder a qualidade? Os medrosos e covardes fossem embora para casa: S√£o duas atitudes opostas √† f√© e a coragem, o fato de se ter esse tipo de soldado no meio do ex√©rcito poderiam ofuscar a vis√£o dos demais, grande parte destes confiavam em seu l√≠der que confiava em Deus para alcan√ßar o objetivo. Os que perdessem a vis√£o tamb√©m fossem pra casa: O fato de se abaixar para beber √°gua demonstrava que: Os que assim o fizeram perdiam uma das principais caracter√≠sticas de um soldado, a concentra√ß√£o no seu objetivo, poderiam desviar a sua aten√ß√£o por alguma necessidade. Os que levavam a m√£o √† boca demonstravam o oposto, quando assim o faziam n√£o perdiam a vis√£o do seu objetivo e, mesmo que estivessem satisfazendo suas necessidades ainda permaneciam concentrados.


2) ELE ANIMA A PROSSEGUIR:

"Naquela mesma noite disse o Senhor a Gideão: Levanta-te, e desce contra o arraial, porque eu o entreguei na tua mão. Mas se tens medo de descer, vai com o teu moço, Purá, ao arraial; ouvirás o que dizem, e serão fortalecidas as tuas mãos para desceres contra o arraial. Então desceu ele com e seu moço, Purá, até o posto avançado das sentinelas do arraial." (Juízes 7:9-11) 

"No momento em que Gideão chegou, um homem estava contando ao seu companheiro um sonho, e dizia: Eu tive um sonho; eis que um pão de cevada vinha rolando sobre o arraial dos midianitas e, chegando a uma tenda, bateu nela de sorte a fazê-la cair, e a virou de cima para baixo, e ela ficou estendida por terra. Ao que respondeu o seu companheiro, dizendo: Isso não é outra coisa senão a espada de Gideão, filho de Joás, varão israelita. Na sua mão Deus entregou Midiã e todo este arraial." (Juízes 7:13-14) 

O temor, o receio diante de uma t√£o grande prova da f√© √© natural do ponto de vista humano, devido √†s limita√ß√Ķes implicadas √† nossa humanidade.

DEUS D√Ā PROVAS CONCRETAS DE QUE ELE √Č COM OS QUE ESCOLHEM DEPENDER TOTALMENTE D'ELE

Deus anima Gide√£o a prosseguir para o alvo, esta √© uma das grandes provid√™ncias de Deus diante das adversidades, Deus conhece melhor do que ningu√©m as nossas limita√ß√Ķes, devido a isso constantemente alimenta o principal objetivo pelo qual chamou a Gide√£o: ‚Äú... Suba, porque o tenho dado em suas m√£os.‚ÄĚ

Pra que n√£o restasse d√ļvidas Deus ainda d√° provas desta palavra quando diz a Gide√£o que descesse at√© as extremidades do acampamento inimigo para ouvir o que diziam a seu respeito e, quando este ouve uma sentinela dos inimigos contando um sonho que teve, o qual significava a derrota dos midianitas por Gide√£o, ent√£o se levanta e, agora totalmente convicto e confiante de que venceriam o ex√©rcito inimigo.

3) DEUS PROVIDENCIA OS M√ČTODOS

"Ent√£o dividiu os trezentos homens em tr√™s companhias, p√īs nas m√£os de cada um deles trombetas, e c√Ęntaros vazios contendo tochas acesas, e disse-lhes: Olhai para mim, e fazei como eu fizer; e eis que chegando eu √£ extremidade do arraial, como eu fizer, assim fareis v√≥s.

Quando eu tocar a trombeta, eu e todos os que comigo estiverem, tocai tamb√©m v√≥s as trombetas ao redor de todo o arraial, e dizei: Pelo Senhor e por Gide√£o! Gide√£o, pois, e os cem homens que estavam com ele chegaram √£ extremidade do arraial, ao princ√≠pio da vig√≠lia do meio, havendo sido de pouco colocadas as guardas; ent√£o tocaram as trombetas e despeda√ßaram os c√Ęntaros que tinham nas m√£os.

Assim tocaram as tr√™s companhias as trombetas, despeda√ßaram os c√Ęntaros, segurando com as m√£os esquerdas as tochas e com as direitas as trombetas para as tocarem, e clamaram: A espada do Senhor e de Gide√£o! E conservou-se cada um no seu lugar ao redor do arraial; ent√£o todo o ex√©rcito deitou a correr e, gritando, fugiu. Pois, ao tocarem os trezentos as trombetas, o Senhor tornou a espada de um contra o outro, e isto em todo o arraial, e fugiram at√© Bete-Sita, em dire√ß√£o de Zerer√°, at√© os limites de Abel-Meol√°, junto a Tabate.

Então os homens de Israel, das tribos de Naftali, de Aser e de todo o Manassés, foram convocados e perseguiram a Midiã. Também Gideão enviou mensageiros por toda a região montanhosa de Efraim, dizendo: Descei ao encontro de Midiã, e ocupai-lhe as águas até Bete-Bara, e também o Jordão. Convocados, pois todos os homens de Efraim, tomaram-lhe as águas até Bete-Bara, e também o Jordão; e prenderam dois príncipes de Midiã, Orebe e Zeebe; e mataram Orebe na penha de Orebe, e Zeebe mataram no lagar de Zeebe, e perseguiram a Midiã; e trouxeram as cabeças de Orebe e de Zeebe a Gideão, além do Jordão." (Juízes 7:16-25)

Quando Deus comunica a visão, Ele também providencia os meios para se atingi-la.

Alguém olhando para a estratégia que Deus deu a Gideão iria achar que ele havia ficado louco, afinal, quem levaria vasos com tochas acesas e buzinas para uma guerra?? Provavelmente o exército inimigo tinha armas bem mais parecidas com espadas e etc...                                                                                                                                                             
A OBEDI√äNCIA FAZ COM QUE SE CONQUISTE O PROP√ďSITO QUE DEUS D√Ā AOS SEUS ESCOLHIDOS

Gide√£o j√° estava mais que certo de que esta batalha n√£o poderia ser vencida com a for√ßa do seu ex√©rcito. Gide√£o conquistou a confian√ßa que um l√≠der precisa ter dos seus liderados. Se par√°ssemos para pensar no que os 300 que com ele estavam poderiam pensar quando Gide√£o d√° a eles ao inv√©s de espadas e lan√ßas, apenas um vaso e uma buzina, talvez encontrar√≠amos exclama√ß√Ķes tais qual:

‚ÄúEsse Gide√£o deve estar nos achando com cara de idiota‚ÄĚ ou ent√£o: ‚Äútalvez ele queira que com este vaso vazio com uma tocha acesa, fritemos uma costela de carneiro‚ÄĚ, pelo contr√°rio, Gide√£o tinha uma tamanha credibilidade diante dos 300 que com ele estavam a ponto de Gide√£o dizer a eles que fizessem exatamente como ele e, n√£o sendo surpresa, vieram a fazer tudo que ele fizera.

Resultado disso tudo foi que Israel se libertou dos inimigos e Gideão é lembrado na história simplesmente porque creu na visão que Deus lhe deu, sua vida a partir do momento de sua chamada girou em torno da conquista do propósito de Deus para sua vida, confiando, crendo e, fazendo foi possível alcançar o que Deus o chamou pra fazer, Gideão aprendeu muito bem Ele é poderoso...      

‚Äú... E chama as coisas que n√£o s√£o como se j√° fossem.‚ÄĚ (Romanos 4:17)

 



www.casadosenhor.com.br
Salvar em PDF
Compartilhar

Estudos Bíblicos. Rádio Web Nova Vida - Bíblia Online

Minist√©rio Internacional Casa do Senhor. © 2003-2018 Todos os direitos reservados. ®