Por Que Enterramos Os Talentos?

 

POR QUE ENTERRAMOS OS TALENTOS?

 
Por qual raz√£o muitos hoje est√£o na igreja e n√£o conseguem mais brilhar como Deus quer?

"Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.‚ÄĚ (Mateus 25:18) ¬† ¬†

A par√°bola dos talentos contada pelo Senhor Jesus √© uma das mais lindas ilustra√ß√Ķes acerca de princ√≠pios do reino de Deus, em rela√ß√£o ao servi√ßo que prestamos a Ele, antes de sua volta. Fala de oportunidades, privil√©gios e mordomia em rela√ß√£o a sua obra.
 
Jesus se auto-representa na parábola como um dono de terras que tem que se ausentar e confia a serviçais o trabalho em sua propriedade. Note que o trabalho é feito sem nenhuma fiscalização do patrão. Somente no final é que haverá o acerto de contas.
 
A eles, caberia trabalhar com toda a liberdade: ‚ÄúE, chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: Negociai at√© que eu venha.‚ÄĚ (Lucas 19:13)
 
Isso fala da liberdade que cada um de nós temos para trabalhar aqui. Aparentemente não há uma fiscalização. Cada um de nós faz do jeito que entendemos que deve ser feito.
 
Reino de Deus ou Reino dos Homens ‚Äď Ouvi, dias desses, de um obreiro frustrado com a conduta de homens desleais na obra de Deus, (que infelizmente tudo na igreja n√£o passa de reino humano), pois mesmo o Senhor vendo tantas coisas erradas acontecendo, ele permite e n√£o interv√©m. Eu disse a ele que a obra √© de Deus, independente dos homens que est√£o √† frente, mas o acerto de contas de nossa mordomia e trabalho, ser√° mais √† frente. Por enquanto, continua esse ‚Äúvale tudo‚ÄĚ inescrupuloso de pessoas que tem vis√£o de trono e n√£o de reino.
 
Enfocando o Menor  - Jesus fala de três servos que receberam os talentos, segundo sua capacidade pessoal. Eram pessoas que certamente tinham a confiança irrestrita do seu senhor. Um recebeu cinco, outro dois e outro um, com toda a liberdade de usa-los como quisessem.
 
O que recebeu cinco, n√£o titubeou, e saiu em busca de um retorno √† confian√ßa de seu senhor, da mesma forma fazendo o que recebeu dois. Mas o enfoque maior fica para o primeiro, e Jesus fez quest√£o de destac√°-lo negativamente:‚ÄúMas o que recebera um foi, e cavou na terra, e escondeu o dinheiro do seu senhor‚ÄĚ (Mat.25:18).
   
O erro maior foi aquele trabalhador ter recebido os bens do seu senhor e negligenciado. Quantos jornaleiros não gostariam de estar no lugar daquele homem, mas o privilégio foi dado a ele, e por isso, seu senhor não conseguiu entender o seu desdém para com o talento recebido, pouco na verdade, mas era sua capacidade para aquilo (Mat.25:15).
 
Tentaremos nos colocar no lugar daquele homem, e analisar o por que, e por quais raz√Ķes ele perdeu a oportunidade de ser um leg√≠timo representante dos bens do empres√°rio, que, diga-se de passagem, deixou aos cuidados dos trabalhadores suas terras, partindo para bem longe e demorando-se a voltar: ‚ÄúE muito tempo depois, veio o Senhor daqueles servos e ajustou contas com eles‚ÄĚ(Mat.25:19). Tenhamos cuidado como cuidaremos das coisas do Senhor Jesus na sua aus√™ncia, ainda que a priori, pare√ßa que Ele est√° demorando a voltar (Hab.2:3, Mat.25:5, Luc.12:45).
 
Mas por que ele enterrou o talento recebido? Eis algumas raz√Ķes:
 
1)Não valorizou o que recebeu - Subestimou o talento recebido. Os recursos eram poucos e por isso julgou ele, desnecessário seu uso. Quem menos tem, passa por um processo de autocomiseração. Acham-se diminuídos e fragilizados ante a força do sistema, e por isso, se julgam sem nenhum valor perante os mais graduados em dons e talentos.
 
Talentos e dons são para serem usados independente de quantidade, pelo contrário, ainda que pouco, temos que empregar maior qualidade possível em seu uso.
 
Temos a tend√™ncia sempre de subestimarmos nossos poucos e parcos recursos por entender que quem tem mais, possui obriga√ß√Ķes maiores. Mas o princ√≠pio divino do servi√ßo do Reino revela-nos que nossas obriga√ß√Ķes s√£o iguais, independente de quanto temos ou fazemos.
 
¬†2) N√£o achou lugar para us√°-los -¬† Na justificativa que ele deu ao seu senhor, no acerto de contas, isso fica bem claro: ‚Äú...Senhor, eu conhecia-te, que √©s um homem duro, que ceifas onde n√£o semeaste e ajuntas onde n√£o espalhaste‚ÄĚ(Mat.25:24). Veja que ele enterrou o talento quem sabe na estranha esperan√ßa que ele germinasse, brotasse e enfim frutificasse, e quando viesse o senhor das terras ele teria algo em contrapartida. Errou feio, pois dons e talentos n√£o nascem de semeaduras, pelo contr√°rio, recebe-se das m√£os de Deus (Tg.1:17) e tem que ser desenvolvidos por n√≥s mesmos. Depende 100% de cada um de n√≥s.
  
Na resposta dada pelo dono da terra ficou claro que ele n√£o aceitou o enterro do talento: ‚Äú...devias ent√£o ter dado o meu dinheiro aos banqueiros, e , quando viesse, receberia o que √© meu com os juros‚Ä̬† (Mat.25:27). O senhor estava dizendo que talentos semeados n√£o nascem da terra, mas podem ser acrescidos nas m√£os de banqueiros. Banqueiros aqui simbolizam obreiros que sabem dar chances a quem tem talentos, pelo menos os juros chegar√£o as m√£os do Senhor.
 
No af√£ de achar um uso para o bem recebido, quem sabe o homem disse consigo mesmo: ‚ÄúVou enterr√°-lo. Quem sabe ele nasce‚ÄĚ. Errou, pois o talento n√£o nasceu e nada tinha a ser colhido do talento escondido. O que ele queria dizer com o enterro do talento, √© que n√£o havia um lugar plaus√≠vel para us√°-lo.
¬†Este √© o problema maior de muita gente hoje, esquecem que o Senhor Jesus d√° a todos n√≥s, seus preciosos dons e talentos, para um uso √ļtil: ‚ÄúMas a manifesta√ß√£o do Esp√≠rito √© dada a cada um para o que for √ļtil‚ÄĚ (I Cor.12:7).
 
 Amado, não inutilize seus (ou seu) talentos. Encontre lugar para usá-lo onde quer que seja. Não o enterre, alegando falta de oportunidade, pois, em algum lugar no reino, haverá uma utilidade a altura do seu talento, a você compete apenas achar esse lugar. Ore a Deus, Ele irá revelar a você!
 
O que o Senhor não quer, no seu retorno, é encontrar seus dons e talentos enterrados e sem uso. Cuidado, pois não encontrarás uma desculpa razoável diante Dele. Isso pode comprometer até mesmo sua salvação.
 
"Lan√ßai, pois, o servo in√ļtil nas trevas exteriores; ali haver√° pranto e ranger de dentes." (Mateus 25:30)
 
Se tiver que mudar de igreja para ser √ļtil ao Reino, ore a Deus e n√£o pense duas vezes, pois n√£o estar√°s pecando. Pecando estar√°s se continuar in√ļtil ao Reino.


 

 



www.casadosenhor.com.br
Salvar em PDF
Compartilhar

Estudos Bíblicos. Rádio Web Nova Vida - Bíblia Online

Minist√©rio Internacional Casa do Senhor. © 2003-2018 Todos os direitos reservados. ®