Buscando Forças Nas Crises do Dia a Dia

 

BUSCANDO FORÇAS NAS CRISES DO DIA A DIA
 

√Č muito comum que em in√ļmeras vezes n√≥s nos concentremos tanto nas dificuldades e crises di√°rias, que rapidamente venhamos a nos esquecer os grandes livramentos operados por Deus em nossas vidas.

COMO √Č F√ĀCIL A GENTE SE DEIXAR TOMAR PELAS DIFICULDADES

Todos os livramentos que Ele operou em nosso passado, s√£o rapidamente esquecidos, e nesse momento as crises e dificuldades parecem aumentar, muitas vezes ficamos como moribundos a beira do caminho, como se apenas esper√°ssemos o fim de tudo.

Por√©m, Deus in√ļmeras vezes atrav√©s da Sua Palavra nos adverte: "Lembre dos Meus livramentos."

SOMOS MUITO PARECIDOS COM OS DISC√ćPULOS

Eles não entenderam os milagres de Cristo quando Ele de modo sobrenatural alimentou milhares de pessoas com uns poucos pães e peixes. Jesus operou esse milagre duas vezes, alimentando 5.000 pessoas uma vez e uma multidão de 4.000 pessoas na outra. Contudo, poucos dias depois, os discípulos tinham removido esses acontecimentos da memória.

Aconteceu quando Jesus os preveniu quanto ao fermento dos fariseus. Os discípulos acharam que Ele havia dito isso por terem se esquecido de trazer pão para a jornada. Mas Cristo lhes respondeu:

"N√£o compreendeis ainda, nem vos lembrais dos cinco p√£es para cinco mil homens e de quantos cestos tomastes? Nem dos sete p√£es para os quatro mil e de quantos cestos tomastes?" (Mt. 16.9-10).

Segundo Marcos, Cristo ficou abismado com a rapidez com a qual os discípulos haviam esquecido Seus incríveis atos. Jesus disse: "Ainda não considerastes, nem compreendestes? Tendes o coração endurecido? Tendo olhos, não vedes? E, tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais de quando parti os cinco pães para os cinco mil, quantos cestos cheios de pedaços recolhestes?" (Mc. 8.17-19). (grifo do autor)

O qu√™ essas passagens nos dizem? Est√° claro que nenhum dos disc√≠pulos parou para levar em conta o qu√™ estava acontecendo quando estas milagrosas alimenta√ß√Ķes se operavam. Tente pintar um quadro desses homens andando em meio √† multid√£o carregando cestos, passando os p√£es e peixes que se multiplicaram milagrosamente √† frente dos seus olhos. Voc√™ poderia pensar que esses disc√≠pulos teriam ca√≠do de joelhos, gritando, "Como isso √© poss√≠vel? √Č simplesmente impressionante; est√° totalmente fora de uma explica√ß√£o humana. Oh, Jesus, Tu √©s verdadeiramente Senhor!". Eu os imagino encorajando as pessoas √†s quais serviam: "Peguem aqui - alimentem-se desse alimento milagroso, enviado da gl√≥ria. Jesus providenciou isso. Contemplem o nosso Deus, e O adorem!".

Os disc√≠pulos viram essas obras maravilhosas com seus pr√≥prios olhos. No entanto, a significa√ß√£o dos milagres n√£o ficou registrada neles. E agora, pouco tempo ap√≥s, eles estavam cheios de d√ļvidas e questionamentos quanto √† "n√£o ter p√£o". Jesus teve de mostrar-lhes, "Como esquecem depressa dos milagres que Deus teceu para voc√™s. Voc√™s n√£o compreenderam os seus livramentos".

Eu tamb√©m me pergunto: por que essas multid√Ķes, que haviam sido alimentadas t√£o milagrosamente, n√£o se levantaram para adorar Jesus? Por que n√£o louvaram a Deus em altas vozes e com bra√ßos levantados? Evidentemente, elas tampouco compreenderam seus milagres. E foi pela mesma raz√£o que voc√™ e eu rapidamente nos esquecemos dos milagres de Deus em nossas pr√≥prias vidas. Os livramentos de ontem s√£o rapidamente esquecidos em meio √†s crises de hoje.

Do G√™nesis ao Apocalipse, a Palavra literalmente nos convoca: "Lembre-se! Lembre-se!‚ÄĚ.
Ao longo dos dois Testamentos, lemos: "Lembre-se do poderoso braço do Senhor, para realizar milagres em teu favor. Lembre-se de todos os livramentos passados". Preste atenção à exortação de Moisés a Israel após o milagre do mar Vermelho:

"Disse Moisés ao povo: Lembrai-vos deste mesmo dia, em que saístes do Egito, da casa da servidão; pois com mão forte o Senhor vos tirou de lá... Quando teu filho amanhã te perguntar: Que é isso? Responder-lhe-ás: O Senhor com mão forte nos tirou da casa da servidão... E isto será como sinal na tua mão e por frontais entre os teus olhos; porque o Senhor com mão forte nos tirou do Egito" (Ex. 13.3,14,16).

Os fariseus interpretaram esse √ļltimo vers√≠culo ao extremo. Fizeram filact√©rios, caixinhas contendo leis escritas, que enrolavam no bra√ßo ou prendiam √† testa. Por√©m o que Mois√©s estava descrevendo aqui era uma met√°fora, um minist√©rio espiritual. Era uma ordem para que todo israelita indelevelmente selasse na mente todo o impressionante livramento que haviam visto. O Senhor estava lhes dizendo, basicamente: "Guarde isso na mem√≥ria, e o deixe √† m√£o. Conserve-o sempre fresco em sua mente. Toda vez que enfrentar uma crise, toda vez que enfrentar um gigante, toda vez que um inimigo agressivo lhe atacar, voc√™ deve se lembrar de todos os milagres que Eu te concedi. Jamais se esque√ßa do livramento que experimentou.

MANTENHA UM DI√ĀRIO MENTAL DELES, E LEMBRE CADA DETALHE

E aí se assegure de contar tudo aos seus filhos. Continue falando dos seus milagres, de geração a geração. Isso edificará a tua fé, e a fé de toda geração que vier".

Ningu√©m viu maiores milagres de liberta√ß√£o que a gera√ß√£o de Mois√©s. Come√ßou com as impressionantes dez pragas que ca√≠ram sobre o Egito. Enxames de gafanhotos, invas√Ķes de r√£s, rios se transformando em sangue, escurid√£o t√£o negra que podia ser apalpada - todas essas coisas trouxeram caos e confus√£o sobre os eg√≠pcios. Contudo durante todo esse tempo, Israel ficou seguro em seu acampamento, protegido de tudo.

Estes mesmos israelitas viram uma nuvem de glória se colocar atrás deles, ocultando-os do exército do faraó que se aproximava. Viram o céu da noite se iluminar com uma coluna de fogo, aquecendo-os durante as noites frias do deserto. E viram um mar inteiro se abrindo à frente, formando altas muralhas de cada lado. Eles caminharam em meio a ondas que formavam paredes, em terra seca. E no dia seguinte, Israel viu o exército do faraó destruído de forma sobrenatural, quando essas mesmas muralhas de água tombaram sobre seus perseguidores, eliminando-os. Que livramentos impressionantes Israel conheceu! Contudo não compreenderam nenhum deles.

Em verdade, logo os esqueceram. Como sabemos disso? Está registrado: "Nossos pais, no Egito, não atentaram às tuas maravilhas; não se lembraram da multidão das tuas misericórdias e foram rebeldes junto ao mar, o mar Vermelho" (Sl. 106.7).

Como Israel foi rebelde a Deus no mar Vermelho? Ora, apenas três dias após o milagroso livramento, acusaram Deus de os ter levado ao deserto para que morressem de sede. "Tornaram a tentar a Deus, agravaram o Santo de Israel. Não se lembraram do poder dele, nem do dia em que os resgatou do adversário; de como no Egito operou ele os seus sinais e os seus prodígios...e converteu em sangue os rios deles, para que das suas correntes não bebessem"

(Sl. 78.41-44). "Cedo, porém, se esqueceram das suas obras e não lhe aguardaram os desígnios...Esqueceram-se de Deus, seu Salvador, que, no Egito, fizera cousas portentosas, maravilhas na terra de Cam, tremendos feitos no mar Vermelho" (Sl. 106.13,21-22). Exatamente aquilo que Moisés havia repreendido em Israel acabou acontecendo. Ele havia prevenido: "Tão-somente guarda-te a ti mesmo e guarda bem a tua alma, que te não esqueças daquelas cousas que os teus olhos têm visto, e se não apartem do teu coração todos os dias da tua vida, e as farás saber a teus filhos e aos filhos de teus filhos" (Dt. 4.9).
 

Vejo a mesma coisa acontecendo hoje na igreja de Jesus Cristo. Somos ordenados pela palavra de Deus a nos "vestirmos com os nossos livramentos". Devemos vesti-los todas as manh√£s, assim como pomos nossas roupas. E devemos mant√™-los √† m√£o, sempre exibi-los diante dos olhos. E ent√£o lhes pergunto: quantas liberta√ß√Ķes milagrosas do passado voc√™ est√° vestindo agora mesmo? Voc√™ est√° mantendo vivos em sua mente os milagres que Deus lhe fez? Eles est√£o t√£o pr√≥ximos, t√£o √† m√£o que voc√™ poderia se levantar j√° e testificar de cada glorioso detalhe?

Quando o Esp√≠rito Santo p√īs esta quest√£o em mim, fiquei at√īnito. Eu s√≥ consegui lembrar com alguns detalhes, de uns poucos livramentos. Esqueci tantos. E tomei j√° como certo e garantido muitos outros. Pior, eu n√£o havia me lembrado deles na hora mais importante: quando enfrentava outras crises. A lembran√ßa dos meus livramentos poderia ter alimentado minha f√© durante tais prova√ß√Ķes.

Somos ordenados a contar aos nossos filhos e netos sobre todas as grandes coisas que Deus fez por nós.

Até devemos ter isso escrito, um diário de nossos livramentos. Agora, por que esse mandamento de nos lembrarmos é tão importante?

1. Devemos nos lembrar dos livramentos passados para aumentar a nossa fé diante das lutas de agora:

√Č para o nosso pr√≥prio benef√≠cio que Deus nos manda recordar. A lembran√ßa de nossos livramentos passados nos ajuda a aumentar a f√© diante do que estamos enfrentando no momento. Voc√™ est√° enfrentando uma crise? Voc√™ tem diante de si a amea√ßa gigante de um problema no lar, no trabalho, na fam√≠lia? A √ļnica maneira de se enfrentar um gigante √© fazer como Davi fez: lembre-se do le√£o e do urso. Foi assim que Davi p√īde atacar Golias sem medo: lembrando-se da fidelidade de Deus para com ele, nas crises anteriores. Lembram-se deste fato b√≠blico?

Vou refrescar-lhes a memória.

Quando Davi foi voluntário para lutar contra Golias, "Saul disse a Davi: Contra o filisteu não poderás ir para pelejar com ele... Respondeu Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; quando veio um leão ou um urso e tomou um cordeiro do rebanho, eu saí após ele, e o feri, e livrei o cordeiro da sua boca... O teu servo matou tanto o leão como o urso; este incircunciso filisteu será como um deles" (I Sm. 17.33-36).

√Č poss√≠vel que Davi tenha testificado a Saul: "Me lembro do tamanho do urso que me atacou. Eu protegi as m√£os com um pano, lhe agarrei a boca desloquei sua mand√≠bula. Depois peguei a pele dele. Fiz um abrigo com ela, e a dei ao meu pai, como testemunho do poder de Deus para me livrar".

Davi sabia do perigo que enfrentava contra Golias naquela hora. Ele não era um principiante, um garoto ingênuo cheio de bravatas e procurando briga. Não, Davi estava simplesmente se lembrando dos livramentos passados. E agora ele olha o inimigo direto nos olhos e afirma: "O Senhor me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrará das mãos deste filisteu" (I Sm. 17.37).

MULTID√ēES DENTRE O POVO DE DEUS HOJE ENFRENTAM GIGANTES POR TODOS OS LADOS

Porém muitos se agacham com medo. Isso descreve você? Você já se esqueceu da vez em que esteve tão doente e próximo à morte, mas o Senhor o levantou? Lembra-se daquele desastre financeiro em que disse, "Acabou - estou falido" - mas o Senhor lhe cuidou o tempo todo, e o guardou até o dia de hoje?

Existem muitos gigantes que os crentes estão enfrentando. Muitos reclamam e dizem, "Eu não entendo". Eu próprio tenho atendido muitos irmãos que são crentes fiéis que confiam na palavra de Deus e andam no Espírito. Quando os ouço, fico pensando. Como pastor, o que vou dizer a eles?

A verdade √© a seguinte, h√° muitas coisas que n√£o compreendemos, e simplesmente n√£o as compreenderemos enquanto n√£o estivermos no lar celestial com Jesus. Mas eu creio em termos absolutos que Deus pode curar, e que Ele tem sa√≠da para todas as situa√ß√Ķes. A pergunta para n√≥s √©, onde vamos encontrar a f√©, a coragem, para nos levantarmos e ganhar vit√≥ria nEle?
Ela só vem pela lembrança do leão e do urso. Vem quando você é capaz de relembrar a incrível fidelidade de Deus, e todas as vitórias passadas que Ele lhe deu. Olhe você não pode enfrentar um gigante enquanto não for capaz de visualizar e compreender a majestade e a glória de Deus em sua vida.

Para fazer isso, insisto para que volte bem para o início, no seu começo com o Senhor.

Voc√™ se lembra como era antes de Jesus lhe salvar? Voc√™ realmente sabe o qu√£o estava perto do inferno, alguns talvez perto do suic√≠dio, outros prestes a se tornarem possu√≠dos pelo dem√īnio? Lembra-se do milagre, da transforma√ß√£o que ocorreu do livramento que lhe retirou do abismo em que estava?

Voc√™ se lembra de como ficou livre de tenta√ß√Ķes crescentes, de armadilhas que o diabo lhe armou? Voc√™ chegou perto de desistir de tudo? Ser√° que quase jogou tudo para cima? Ser√° que ficou t√£o desencorajado, t√£o aniquilado, que achou ser in√ļtil prosseguir junto ao Senhor?

Lembre-se: o Espírito de Deus veio sobre si. Você se arrependeu, e Ele o atraiu de volta para Si mesmo. O Senhor o desatou da armadilha do diabo, naquela ocasião e em muitas outras. Pergunte-se: quantas preces desesperadas o Senhor lhe respondeu?

Vou lhe mostrar uma maneira pela qual você poderá transformar um gigante numa formiga.

Voc√™ j√° experimentou pegar uma estrada interiorana √† noite. L√°, olhe para a lua e para as milh√Ķes de estrelas. Ent√£o lembre do seu Criador Deus e de toda obra de Suas m√£os.

O astronauta Charlie Duke comentou como √© estar numa c√°psula min√ļscula a 448.000 quil√īmetros da terra, voando em dire√ß√£o √† Lua. Quando a nave ficou de lado, algu√©m exclamou: ‚ÄúOlhem que vista incr√≠vel!‚ÄĚ.

Era a terra, suspensa maravilhosamente no espa√ßo negro. L√° estava gigantesca, a esfera brilhante, sustentada por nada. Toda a tripula√ß√£o ficou at√īnita com a vis√£o. Eles sabiam que s√≥ um Deus Criador incr√≠vel poderia tecer isso.

Em verdade, esse foi o mesmo plano que Deus usou para tirar J√≥ de sua dor. O Senhor fez com que aquele homem sofredor voltasse os seus olhos para os fundamentos da terra, e perguntou: ‚ÄúO qu√™ est√° prendendo a terra, J√≥? O que a segura no espa√ßo?‚ÄĚ. Deus prosseguiu, dizendo, ‚ÄúQuem deteve os mares em suas margens? Quem diz ao oceano poderoso, ‚ÄėVenha s√≥ at√© esse ponto, mas n√£o o ultrapasse‚Äô? O qu√™ impede que as ondas avancem sobre a terra? Por que voc√™ n√£o est√° se afogando com a √°gua subindo, J√≥? E onde est√£o as nascentes de onde prov√™m os mares?

Como a luz √© separada da escurid√£o? Como s√£o os ventos divididos e dispersos? Como nasce a chuva? O homem pode produzir rel√Ęmpagos, trov√Ķes, nuvens? Quem voc√™ acha que disp√īs todas essas for√ßas da natureza em seus lugares, J√≥? Quem p√īs a ferocidade e a bravura na natureza dos animais?‚ÄĚ.

Deus literalmente levou J√≥ a assistir um ‚ÄúCurso de Poder‚ÄĚ, revelando Sua cria√ß√£o passada. Em meio a isso, foi dizendo a J√≥: ‚ÄúVoc√™ se esqueceu quem Eu sou. Voc√™ me acusa de neglig√™ncia. Voc√™ duvida do meu interesse por ti, e do meu poder para te livrar. No entanto estou lhe mostrando o quanto me preocupo por toda essa enorme cria√ß√£o minha‚ÄĚ(J√≥ caps. 38-40)

O Senhor prosseguiu, at√© que finalmente J√≥ se viu aniquilado diante de tudo isso. Ent√£o J√≥ olha para os seus problemas e diz: ‚ÄúFui tolo. Os meus olhos estavam no lugar errado, em vez de estarem em Ti. Oh Senhor, eu havia me esquecido de todas essas coisas sobre Ti. Sei que Tu podes fazer tudo. E sei que nenhum pensamento pode ser retido de Ti‚ÄĚ (J√≥ 42.2-3)

2. Devemos lembrar de nossos livramentos passados como uma arma contra o medo:

O medo não consegue sufocar o coração de alguém cujos olhos estejam cheios da visão da grandeza e da majestade de Deus.

NEEMIAS ENTENDEU BEM ESSE PRINC√ćPIO

Ele ia de um lado para o outro sobre as muralhas de Jerusal√©m, enquanto um remanescente esgotado e cansado abaixo tentava reconstruir a cidade. Os israelitas estavam cercados por tem√≠veis advers√°rios, uma coaliz√£o de tr√™s na√ß√Ķes dirigida por Sambal√° e o p√©rfido Tobias. Agora o medo estava come√ßando a se infiltrar. Os muros da cidade n√£o estavam acabados, e havia montes de entulho por todo lado. Os trabalhadores esgotados eram for√ßados a labutar com um martelo numa m√£o, e uma espada na outra. Como responder aos seus temores? Como prosseguir em vez de fugir? Ent√£o Neemias traz √† lembran√ßa deles o qu√£o grande e tremendo o seu Deus √©:

‚ÄúInspecionei, dispus-me e disse aos nobres, aos magistrados e ao resto do povo: n√£o os temais; lembrai-vos do Senhor, grande e tem√≠vel, e pelejai‚ÄĚ (Ne. 4.14).

Prezado irm√£o (a), voc√™ est√° com medo de sua situa√ß√£o? Ser√° que o problema lhe atingiu, abalando sua confian√ßa no Senhor? Se √© assim, lembre o qu√£o grande e tem√≠vel o seu Deus √©. Foi exatamente assim que Mois√©s tratou com o medo em seu grupo. Ele disse a Israel: ‚ÄúSe disseres no teu cora√ß√£o: Estas na√ß√Ķes s√£o mais numerosas do que eu; como poderei desaposs√°-las? Delas n√£o tenhas temor; lembrar-te-√°s do que o Senhor, teu Deus, fez a Fara√≥ e a todo o Egito... N√£o te espantes diante deles, porque o Senhor, teu Deus, est√° no meio de ti, Deus grande e tem√≠vel‚ÄĚ (Dt. 7.17-18, 21).

Mois√©s estava dizendo: ‚ÄúVoc√™s enfrentar√£o tremendos inimigos muito mais poderosos que voc√™s. E se perguntar√£o como de algum modo conseguir√£o ter vit√≥ria tendo t√£o poucas chances. Mas a √ļnica coisa que dever√£o fazer √© se lembrar de qu√£o grande e forte √© o teu Deus. Lembrem-se do qu√™ Ele fez aos seus inimigos no passado, e como Ele foi fiel ao libert√°-los‚ÄĚ.

Temos de nos lembrar a todo o instante de qu√£o grande √© Deus - do qu√™ Ele fez no passado para nos livrar ‚Äď e utilizar esse poder majestoso diante da prova√ß√£o desse momento.

Mois√©s insta junto a Israel: ‚ÄúEle fez tudo isso por voc√™s. E voc√™s devem se apropriar do poder dEle‚ÄĚ. ‚ÄúEle √© o teu louvor e o teu Deus, que te fez estas grandes e tem√≠veis cousas que os teus olhos t√™m visto.‚ÄĚ (Deuteron√īmio 10:21)

Davi pergunta: ‚ÄúQuem h√° como o teu povo, como Israel, gente √ļnica na terra, a quem tu, √≥ Deus, foste resgatar para ser teu povo? E para fazer a ti mesmo um nome e fazer a teu povo estas grandes e tremendas cousas, para a tua terra, diante do teu povo, que tu resgataste do Egito, desterrando as na√ß√Ķes e seus deuses?‚ÄĚ (2 Samuel 7:23)

Deus declara a n√≥s: ‚ÄúPorque eu, o Senhor, n√£o mudo‚ÄĚ (Malaquias 3:6). E hoje Ele ainda procura mostrar a Sua grandeza a todos que cr√™em e se apropriam do Seu poder. ‚ÄúQuanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo cora√ß√£o √© totalmente dele.‚ÄĚ (2 Cr√īnicas 16:9)

As palavras de Mois√©s ao morrer, dirigidas ao povo de Deus foram: ‚ÄúSede fortes e corajosos, n√£o temais, nem vos atemorizeis diante deles, porque o Senhor, vosso Deus, √© quem vai convosco; n√£o vos deixar√°, nem vos desamparar√°‚ÄĚ (Dt. 31.6).

Finalmente, ouvimos o apóstolo Paulo. Ele ora para que se abram os olhos de cada um dos santos, para verem a grandeza do poder de Deus para conosco:

‚ÄúQue o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da gl√≥ria, vos conceda esp√≠rito de sabedoria e de revela√ß√£o no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso cora√ß√£o, para saberdes qual √© a esperan√ßa do seu chamamento, qual a riqueza da gl√≥ria da sua heran√ßa nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a efic√°cia da for√ßa do seu poder.‚ÄĚ (Ef√©sios 1:17-19)

Dentre as coisas mais importantes que me lembro, a maior delas é a memória que compartilhamos nesta semana à Santa Ceia. Nos recordamos da morte do Senhor, do maior de todos os milagres. O nosso Senhor Jesus Cristo conquistou a morte, e hoje se mostra vitorioso sobre qualquer provação que você enfrente. E ainda mais, Ele está com você em sua provação. Insisto consigo: erga os olhos da dor, e lembre das maravilhosas obras que Ele fez por você. Então terá uma visão da majestade e da glória do Deus que é o seu livramento.
 



www.casadosenhor.com.br
Salvar em PDF
Compartilhar

Estudos Bíblicos. Rádio Web Nova Vida - Bíblia Online

Minist√©rio Internacional Casa do Senhor. © 2003-2018 Todos os direitos reservados. ®