Obras Da Carne: PORFIAS

 

OBRAS DA CARNE: PORFIAS

 

Porfia segundo o dicion√°rio significa discuss√£o, disputa, luta, teimosia.

Analisando o sin√īnimo de porfia no dicion√°rio, n√£o podemos ter uma defini√ß√£o precisa da palavra no texto b√≠blico, haja vista a palavra no portugu√™s ter o mesmo sentido da palavra peleja que √© citada no mesmo vers√≠culo. Por este motivo algumas tradu√ß√Ķes optaram por utilizar outra palavra para peleja.
 
Existe uma significativa diferen√ßa entre as tradu√ß√Ķes que podem auxiliar na compreens√£o do texto.
 
Na lista de Gl 5.20 encontramos a seguinte seq√ľ√™ncia respectivamente:...Porfias, emula√ß√Ķes, iras, pelejas na tradu√ß√£o ARC; porfias, ci√ļmes, iras, pelejas na tradu√ß√£o Almeida ed. Contempor√Ęnea; porfias, ci√ļmes, iras, disc√≥rdias na tradu√ß√£o ARA; porfia, emula√ß√Ķes, ira, pelejas na tradu√ß√£o AC e Fiel; brigas, ciumeiras, acessos de raivas, ambi√ß√Ķes ego√≠stas na tradu√ß√£o da BLH e como √ļltimo exemplo, na tradu√ß√£o cat√≥lica da B√≠blia de Jerusal√©m temos: Rixas, ci√ļmes, ira, discuss√Ķes.
 
A import√Ęncia de se comparar tradu√ß√Ķes est√° no fato de uma ajudar na compreens√£o mais exata do termo existente na outra.
 
Recorrendo ao original.
 
No texto de G√°latas que nos foi exposto, a palavra usada para porfia √© ‚Äúeris‚ÄĚ, que significa ainda desaven√ßa, contenda.
 
A palavra usada para peleja √© ‚Äúeritheiai‚ÄĚ que significa disc√≥rdia. No grego trata-se de uma das formas pela qual se manifesta o ego√≠smo.
 
Resumindo todas estas informa√ß√Ķes; no texto em pauta, porfia fala da atitude de luta, briga; e peleja da ambi√ß√£o ego√≠sta, cobi√ßa pelo poder, diverg√™ncia de pensamentos.
Posteriormente estudaremos sobre a peleja, no momento o que interessa ao nosso estudo é a porfia.
 
Agora que já sabemos definir o que é porfia, passaremos a estudar como elas surgem, suas causas e exemplos.
 
COMO SURGEM AS PORFIAS?
 
Primeiramente o cora√ß√£o movido pela carne vive cheio de inimizade, logo, √© gerado na mente o desejo hostil com rela√ß√£o ao irm√£o; desejo este que na primeira oportunidade entra em contenda e luta. No in√≠cio trata-se de disposi√ß√£o mental hostil (‚Äúdoido para arranjar confus√£o‚ÄĚ) que causa os mais variados problemas( brigas que podem vir em forma de contendas, ofensas e at√© mesmo agress√Ķes) de uma maneira inesperada entre as pessoas, dando origem a dissens√Ķes e divis√Ķes.
 
CAUSAS:
Como vimos acima, as porfias originam dissens√Ķes e divis√Ķes.
 
Do mesmo modo que a inimizade, a porfia enfraquece a unidade da igreja e por se tratar de algo exterior, o testemunho crist√£o √© prejudicado podendo gerar esc√Ęndalos.
 
√Č extremamente desagrad√°vel quando observamos no seio da igreja contendas e, at√© mesmo, discuss√Ķes com ofensas e teimosias (que s√£o formas de lutas) e, at√© mesmo, brigas.
 
O líder deve estar atento a este tipo de atitude por causar dano à igreja, tanto aos mais fracos, quanto a novos convertidos e àqueles que estão a nossa volta.
 
EXEMPLOS:
 
Quando Paulo escreve a sua 1¬™ Ep√≠stola aos Cor√≠ntios, ele diz no 1¬ļ cap√≠tulo, no vers√≠culo 11 que havia contendas entre os crentes daquela igreja. Na verdade estas contendas eram brigas e disputas oriundas de divis√Ķes partid√°rias. A gravidade est√° no fato de que qualquer pessoa poderia observar claramente a desaven√ßa existente entre eles sendo uma prova externa de desuni√£o da igreja. Estas atitudes mostravam falta de amor e eram reprovadas pelo ap√≥stolo.
 
As porfias causavam tamb√©m dissens√Ķes mostradas no levante contra a autoridade de Paulo, acentuavam as divis√Ķes e uma casa dividida n√£o pode subsistir.
Em Filipenses 1.15; Paulo afirma que existem alguns que pregam por porfia, ou seja, sem ser por amor, apenas para disputar com quem prega com sinceridade.
N√£o deve ser costume de crentes em Jesus contender entre si ( I Co 11.16, II Tm 2.23-26); no entanto, uma contenda ao n√≠vel de apologia da f√© sem entrar em discuss√£o ou exalta√ß√£o, deve ser exercida pelo crist√£o( At 15. 1,2), tendo-se o cuidado para n√£o causar esc√Ęndalos (Mt 7.6;Tt 3:10).
 
Trazendo para a pr√°tica, √© inadmiss√≠vel ver irm√£os brigando entre si na igreja, isto √© uma prova de carnalidade! O pior √© que existem porfias por motivos t√£o f√ļteis que at√© mesmo os √≠mpios se espantam ao ver tal atitude na vida de alguns que se dizem crist√£os.
 
E o que dizer daqueles que por qualquer motivo brigam até mesmo com ímpios? Irmãos, não convém que isto seja assim! O mau testemunho é uma coisa lamentável.
 
Mais uma vez repito as palavras do ap√≥stolo Paulo em II Tim√≥teo, citadas anteriormente: ‚Äúao servo do Senhor n√£o conv√©m contender‚ÄĚ, a porfia √© obra da carne e se n√≥s somos guiados pelo Esp√≠rito de Deus, n√£o devemos ter este h√°bito em nossa vida.
 


www.casadosenhor.com.br
Salvar em PDF
Compartilhar

Estudos Bíblicos. Rádio Web Nova Vida - Bíblia Online

Minist√©rio Internacional Casa do Senhor. © 2003-2018 Todos os direitos reservados. ®